Para além de Alice Vieira

Projecto de narração de contos de Beja nomeado para prémio sueco Astrid Lindgren

A escritora portuguesa é uma das nomeadas ao prémio
Foto
A escritora portuguesa é uma das nomeadas ao prémio Sara Matos (arquivo)

Um projecto de narração de contos, promovido pela Biblioteca de Beja, e a escritora Alice Vieira são os dois nomeados portugueses para o prémio mundial Astrid Lindgren Memorial Award (ALMA) de 2010, considerado o mais importante da literatura infantil.

Graças à nomeação decidida pela Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas (DGLB), a entidade que submete as candidaturas portuguesas ao prémio, Alice Vieira e o encontro de narração oral “Palavras Andarilhas” integram a lista dos 168 candidatos de 61 países que vão disputar a sétima edição do ALMA.

O vencedor do ALMA 2010, que irá receber um cheque no valor de 500 mil euros, será conhecido a 24 de Março do próximo ano, durante a Feira Internacional do Livro Infantil, em Bolonha (Itália).

A celebrar três décadas de carreira, Alice Vieira, de 67 anos, pela segunda vez candidata ao ALMA, já publicou 20 títulos na área infanto-juvenil, como “Chocolate à chuva”, “A espada do Rei Afonso”, “Flor de mel”, “Caderno de Agosto” e “Se perguntarem por mim, digam que voei”.

Nos últimos 10 anos, o encontro “Palavras Andarilhas” transformou Beja na “cidade dos contos”, ao libertar a “magia” do “faz de conta” através de iniciativas como o "Encontro de Aprendizes do Contar", "Festival de Narração", "Estafeta de Contos" e a "Feira do Livro e da Leitura".

No ano passado, após 10 edições anuais, o encontro, criado em 1998 pela Biblioteca Municipal de Beja para promover o conto, o livro e a leitura, passou a bianual e a próxima edição vai decorrer em Setembro de 2010.

“Independentemente da vitória”, a nomeação para o ALMA “só por si, é o reconhecimento da qualidade das ‘Palavras Andarilhas’ e do trabalho da Biblioteca de Beja”, disse a contadora de histórias profissional e organizadora do encontro, Cristina Taquelim, regozijando-se com a candidatura indicada pela DGLB.

A nomeação “é também um sinal claro do apoio da DGLB ao projecto” e “aumenta a responsabilidade da Biblioteca de Beja na organização da próxima edição das ‘Palavras Andarilhas’”, acrescentou.

O prémio ALMA, atribuído anualmente pelo Conselho Sueco de Artes, foi instituído pelo Governo sueco em memória da escritora Astrid Lindgren, que nasceu em Småland, no Sudoeste da Suécia, em 1907, e criou a famosa personagem Pipi das Meias Altas.