Em menos de dois anos

France Telecom regista 25º caso de suícidio de funcionários

Suicidou-se hoje mais um trabalhador da France Télécom, que estava de baixa por conselho médico. São já 25 o número de funcionários da empresa de telecomunicações francesa que, nos últimos 18 meses, colocaram fim à própria vida devido ao stress e às condições de trabalho.

De acordo com o jornal francês Le Figaro, tratava-se de um engenheiro de 48 anos que estava de baixa há um mês por conselho do seu médico do trabalho.

A notícia surge dois dias depois de um outro funcionário de 54 anos, que estava também de baixa médica, ter tentado enforcar-se, acabando por ser salvo graças à intervenção dos bombeiros.

O último caso de suicídio remonta ao final de Setembro, quando um trabalhador de 51 anos se atirou de um viaduto.

Para tentar conter aquilo que a própria empresa já definiu como uma “situação de contágio”, a France Telecom aumentou o número de médicos da empresa, disponibilizou sessões com psicólogos aos trabalhadores e está a proceder a reestruturações no seu seio.

Apesar disso, o clima permanece tenso na empresa e os sindicatos apelaram já que todos os trabalhadores se juntem na próxima sessão de negociação com a empresa sobre o stress laboral.

Ao ver a sua cabeça colocada a prémio por causa da vaga de suicídios na empresa, o presidente da France Telecom, Didier Lombard, reconheceu na semana passada que foram cometidos vários erros.

“Não tomei atenção suficiente aos sinais de debilidade”, admitiu, dizendo que a empresa “subestimou um certo número de parâmetros humanos”.

“À força de ter uma boa performance, o espaço de trabalho deixou de ter liberdade”, concluiu Didier Lombard.

A France Telecom tem 100 mil funcionários só em França. Controlada a 26,7 por cento pelo Estado francês, a empresa registou em 2008 um lucro líquido superior a quatro mil milhões de euros

Sugerir correcção