Cotação de Bergman continua em alta

Foto

Mais de milhão e meio de euros foram arrecadados, na segunda-feira, com a primeira parte da venda do espólio pessoal de móveis, objectos e adereços de trabalho do realizador sueco

Afinal, não são só os filmes que continuam bem presentes no imaginário cinéfilo. O nome Ingmar Bergman (1918-2007) e o seu perfil um pouco eremita permanecem também uma marca mobilizadora da atenção do mundo. Foi isso que se comprovou na segunda-feira, no primeiro dia do leilão dos objectos que acompanharam a vida e o trabalho criativo do realizador sueco. Não só foram vendidos todos os lotes levados à praça - 290 dos 339 que tinham sido reunidos para o efeito -, como eles atingiram preços que superaram grandemente as expectativas mais optimistas.

No final da primeira sessão, a casa leiloeira Bukowski tinha arrecadado 1,7 milhões de euros, por um conjunto de peças - móveis, quadros, fotografias, cartazes, adereços teatrais e objectos de uso quotidiano - que foi arrematado bastante acima do valor previsto, por via da sua associação ao nome do autor de "Morangos Silvestres" (1957).

"Estou surpreendido. Não sonhava que isto pudesse acontecer. Agora podemos realmente ver até que ponto Ingmar Bergman é mesmo alguém importante", comentou à AFP o comissário do leilão, Tom Österman.

A surpresa maior esteve no valor atingido pela maqueta em madeira do Teatro Real Dramático de Estocolmo - normalmente conhecido como o "Dramaten" -, que Bergman dirigiu em dois períodos diferentes da sua carreira: foi vendido pelo preço "fantástico" de 100.500 euros (um milhão de coroas, quando a base de licitação era de apenas 15 mil).

O tabuleiro de xadrez usado no filme "O Sétimo Selo" (1957), para o jogo entre o cavaleiro representado por Max von Sidow e a Morte, rendeu 100 mil euros; uma fotografia de Bergman ao lado do compositor Igor Stravinski mais do que decuplicou o seu valor, tendo atingido os 2650 euros; um retrato do dramaturgo sueco August Strindberg pintado pelo norueguês Edvard Munch valeu 53 mil euros, quase o dobro do preço de licitação; um cartaz do filme "Fanny e Alexandre" (1982) mais do que quintuplicou os 390 euros iniciais; e uma cabeça esculpida em gesso e folheada a ouro, de autor desconhecido, chegou aos 6000 euros, 15 vezes a base de licitação...

Licitação por telefone

A maior parte dos lotes foram licitados por telefone, já que na sala, apesar de lotada, a maior parte das pessoas "eram curiosos, vindos eventualmente para fazerem uma ou outra compra, mas sobretudo para ver", referiu Tom Österman.

A segunda parte do leilão estava agendado para a noite de ontem, para acabar de se fazer cumprir a disposição testamentária do realizador, que assim quis evitar disputas familiares por esta componente da sua herança - Bergman casou cinco vezes e teve nove filhos de seis mulheres.

O realizador morreu no dia 30 de Julho de 2007, na sua casa isolada na ilha de Farö, junto a Gotland, onde morou e trabalhou nos últimos anos da sua vida, e onde, nomeadamente, realizou o seu último filme, Saraband(2003) - curiosamente, o título desta obra surge escrito numa tábua onde o realizador anotava diariamente os seus pensamentos.