Carmelinda Pereira defende que eleições são momento de viragem

Líder da POUS reitera que os três maiores partidos da esquerda devem unir-se para formar Governo

Nas últimas eleições europeias o POUS teve 0,15 por cento dos votos
Foto
Nas últimas eleições europeias o POUS teve 0,15 por cento dos votos Pedro Vilela (arquivo)

O Partido Operário de Unidade Socialista (POUS) reforçou hoje a ideia de que os três maiores partidos de esquerda se devem unir para a formação de um novo Governo, em caso de maioria relativa do PS nas legislativas.

"A realidade social [em Portugal] é à esquerda, com PS, PCP e BE. É um imperativo democrático e da civilização que estas organizações, após as eleições, procurem entender-se", afirmou Carmelinda Pereira durante uma acção de campanha decorrida hoje junto à estação de metro do Campo Grande, em Lisboa.

Para a cabeça-de-lista do POUS às legislativas, um eventual governo tripartidário de esquerda "pode ser capaz" de dar a volta "à situação que se vive" em Portugal, isto "se se entender com o povo".

Carmelinda Pereira defende que as eleições de 27 de Setembro "não são umas eleições quaisquer", antes "um momento de viragem" que nomeará novos eleitos "para o órgão máximo da soberania nacional".

A candidata acredita, todavia, que a democracia em Portugal se está "a degradar", culpa do não cumprimento dos políticos dos desejos do eleitorado.

"Sistematicamente o povo vota e as suas aspirações e expectativas que a política fosse ao encontro dos seus problemas não tem lugar", sublinhou.

Nas últimas eleições europeias o POUS teve 0,15 por cento dos votos (5177).