Nacionalização

SLN insiste em ser indemnizada pela nacionalização do BPN

A Sociedade Lusa de Negócios (SLN) fará tudo o que estiver ao alcance para ser indemnizada pela nacionalização do BPN e aguarda que o ministério das Finanças estabeleça um valor, disse hoje um administrador da empresa.

"A informação que temos é que está a decorrer o processo de audição prévia no Ministério das Finanças, sobre o processo de nacionalização" do BPN, que era detido maioritariamente pela SLN, e "só quando houver decisão final, se saberá se há lugar a uma indemnização", disse Vasco Afonso, na conferência de imprensa em que foi anunciada a compra da Real Seguros pelo Montepio.

Vasco Afonso adiantou que a SLN "não reclama um valor em concreto", pois "é o ministério das Finanças que terá de indicar um valor". Recordou, contudo, que nas contas de 2008 a SLN reflectiu no balanço como valor de custo do BPN 500 milhões de euros e admitiu que a SLN recorra da decisão caso esta seja de não indemnizar.

O administrador da SLN esclareceu também que o plano de viabilização do grupo, apresentado em Maio, não inclui nem depende de uma indemnização do Estado pela nacionalização do BPN. O Ministério das Finanças revelou, em Maio, que o sentido da decisão era de não atribuição de qualquer valor, a título de indemnização decorrente da nacionalização, "considerando o valor negativo da situação patrimonial e financeira do BPN, apurado na sequência das avaliações realizadas, nos termos legais".

Sugerir correcção