Jogos da Lusofonia

Terceira edição será em Goa

Os responsáveis da Associação Olímpica de Goa, na Índia, mostraram-se hoje orgulhosos por terem garantido a organização da terceira edição dos Jogos da Lusofonia, em 2013, mostrando vontade de reforçar as relações com Portugal.

A Assembleia-Geral da Associação dos Comités Olímpicos de Língua Oficial Portuguesa (ACOLOP), reunida em Lisboa, atribuiu hoje a Goa a responsabilidade de organizar a terceira edição dos Jogos da Lusofonia.

"Estamos muito satisfeitos por acolhermos os Jogos da Lusofonia em Goa", referiu o presidente da Associação Olímpica de Goa, Subhash Shirodkar.

O responsável goês referiu que podia "organizar hoje os Jogos da Lusofonia", mas que nos próximos anos vão melhorar as infraestruturas.

"Em relação a infraestruturas estamos preparados, porque em 2011 vamos receber os Jogos Nacionais da Índia, nos quais vamos ter cerca de 12 000 atletas", referiu Shirodkar.

O presidente da Associação Olímpica de Goa lembrou que "Goa e Portugal não são países distantes, porque têm relações há mais de 500 anos".

"Sentimos que estamos em casa quando vimos a Portugal e penso que acontece o mesmo com os portugueses quando vão a Goa. Temos cerca de 2000 goeses em Portugal. É um grande prazer receber os Jogos da Lusofonia em 2013", afirmou.

Já Jovito Lopes, chefe da missão de Goa na segunda edição dos Jogos da Lusofonia, que termina domingo em Lisboa, referiu que foi "com grande alegria" e com "um grande orgulho" que souberam que vão receber a prova.

"Temos laços culturais e sociais com Portugal e todos gostamos muito de Portugal. Temos esses grandes laços de amizade e vamos estreitá-los ainda mais", disse Jovito Lopes.

O presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), Vicente Moura, referiu que tem "um sentimento muito especial" com esta atribuição da organização, relembrando que foi a partir de si e do Desporto que reiniciaram os contactos com Goa.

"Na década de 60, Portugal abandonou Goa em conflito. Estivemos vários anos de costas voltadas. Fui há quatro anos a Goa e fui surpreendido pela forma como fui recebido, como um amigo, com emoção. Ao longo de quatro anos, construímos esta amizade desportiva, que deixa para trás 450 anos de permanência colonial. O desporto abriu as portas a um grande país", referiu.

A reunião magna da ACOLOP elegeu, por unanimidade, o vice-presidente da Associação Olímpica de Macau, Alex Vong Lek, como presidente da ACOLOP, sucedendo ao presidente do Comité Olímpico de Portugal, Vicente Moura.

"Tenho um sentimento de trabalho cumprido. Tenho a certeza que a ACOLOP tem a continuidade assegurada, até pela disputa eleitoral que aqui houve, o que prova que as pessoas estão interessadas", referiu.