Cristiano Ronaldo "é totalmente Brüno"

Foto

Segundo o criador britânico Julien MacDonald, Brüno é plausível, possível, existente: olhem para Cristiano Ronaldo

A frase promocional diz tudo: "Borat é tão 2006". Até parece que ouvimos o "tão" arrastado e afectado que um "fashionista" diria para comentar um fenómeno passado e ultrapassado. Brüno é o guardião das tendências, figura que conjuga estereótipos gay, sim, mas também "fashion". Com toda a controvérsia e debate a girar em torno da temática homossexual, o aspecto moda cai para segundo plano. Mas o mundo da moda também terá motivos para se contorcer na cadeira, talvez mais do que quando viu "Zoolander", "O Diabo Veste Prada" ou "Pronto-a-Vestir", de Altman. O "Telegraph" pôs-se a comparar os comentários no Twitter feitos por Brüno e Karl Lagerfeld, o mestre da casa Chanel, e desafiou os leitores a encontrar as diferenças. O grau de comicidade equiparava-se. A questão é, para o jornalista Simon Mills (que até já desfilou na passerelle), que "o mundo da moda é em grande parte imune à paródia essencialmente porque faz um trabalho relativamente bom a parodiar-se, constantemente". Sacha Baron Cohen não falou muito sobre a construção da sua personagem, mas Brüno é o exagero do exagero, o que no fundo é uma certa parcela desta cultura focada na estética e no "look". Brüno resulta porque "é tão, tão plausível", escreve Mills. A excentricidade de Brüno é apenas um espelho de Feira Popular posto à frente da tribo "fashionista". Já na rodagem do filme, Cohen foi detido depois de ter andado pelos bastidores da Semana da Moda de Milão e de ter "caído" na passerelle durante um desfile de Agatha Ruiz de la Prada.

O criador britânico Julien MacDonald comenta, divertido, que Brüno é, de facto, plausível, possível, existente. E toca, em declarações ao "Guardian", numa referência próxima ao planeta Portugal: Ronaldo. "Há dezenas de homens como Bruno em East London ou à porta da Topshop num sábado à tarde. Já vi homens a usar o 'look' total tirolês que ele tem. E, honestamente, o novo corte de cabelo de Bruno é basicamente uma cópia directa do cabelo que os manequins masculinos tinham no último desfile da Gucci. E não são só os gay. Olhem para o Cristiano Ronaldo. A forma como ele se veste é totalmente Brüno". Ronaldo é muitas vezes citado como uma forte influência na moda masculina portuguesa. Especialmente pelo factor pólo cor-de-rosa: antes uma peça de roupa conotada pela cor com um universo homossexual, agora está no tronco de milhares de "machos latinos" país fora. A diversidade fica-lhes bem.