Arresto na escola de Belgais pode ter levado Maria João Pires a renunciar à nacionalidade

Foto

Filha da pianista disse ter sido "apanhada de surpresa" pela notícia e afirmou desconhecer que a mãe tivesse já a nacionalidade brasileira

a A pianista Maria João Pires deverá renunciar à nacionalidade portuguesa e assumir em exclusivo a cidadania brasileira. A notícia foi dada pelo jornalista João Paulo Guerra, da Antena 2, a quem Maria João Pires disse estar farta dos "coices e pontapés" que tem recebido em Portugal. O PÚBLICO contactou uma filha da pianista, Joana Pires, que disse ter sido "apanhada de surpresa" pela notícia e afirmou desconhecer que a mãe tivesse já a nacionalidade brasileira. "É uma questão privada e que não tem interesse nenhum", diz Joana Pires, responsável pelo projecto de educação artística da Escola da Mata, gerido pela Associação de Belgais.
A gota de água que terá levado a pianista a tomar esta decisão pode ter sido, justamente, o arresto de bens que a Escola da Mata, no concelho de Castelo Branco, vem sofrendo há já algum tempo, por alegadas dívidas a quatro ex-funcionários recentemente despedidos. Após terem levado móveis e instrumentos, os funcionários encarregados de executar o arresto regressaram há dias, desta vez, explica Joana Pires, para confiscar o autocarro usado para transportar as cerca de 40 crianças que frequentam a escola.
Lançada pela própria Maria João Pires e hoje dirigida pela filha, a escola está neste momento a funcionar com o apoio dos pais dos alunos e de outros voluntários. Mas Joana Pires, que chegou a considerar muito improvável que esta pudesse reabrir para o ano, está agora convencida de que irá ser possível dar continuidade ao projecto.
Só há dias é que a pianista terá sabido que os bens da escola, da qual já se desligou há alguns anos, estavam a ser arrestados, uma vez que a filha preferiu não a incomodar com a notícia. Mas nas explicações que deu a João Paulo Guerra para a sua decisão de renunciar à nacionalidade portuguesa, Maria João Pires não terá referido especificamente este último episódio.
Segundo Guerra, que encontrou casualmente a pianista num centro comercial em Lisboa, esta tenciona agora dedicar-se à hotelaria em S. Salvador, no estado brasileiro da Baía. Mas está também a preparar um novo disco e pretende continuar a dar concertos, designadamente em Portugal.
Maria João Pires terá igualmente recebido convites de autoridades espanholas, que gostariam que a pianista se radicasse no país, mas a artista preferiu o Brasil, onde já há alguns anos vem passando boa parte do seu tempo. com Margarida Gomes