Reacção ao incidente dos “chifres”

PCP pede demissão de Manuel Pinho

Bernardino Soares
Foto
Bernardino Soares Pedro Cunha (arquivo)

O líder da bancada parlamentar do PCP, Bernardino Soares, pediu a demissão de Manuel Pinho, considerando que o ministro da Economia "há muito tempo tem razões para não continuar no Governo".

"Não é virgem em disparates e faltas de educação", acrescentou o deputado comunista, notando que "este gesto confirma que o ministro não está à altura das funções que desempenha no Governo". Bernardino explicou então que o gesto de Pinho foi-lhe dirigido quando afirmou, ao mesmo tempo que Sócrates respondia a Francisco Louçã sobre as Minas de Aljustrel, que o ministro tinha ido a Aljustrel, "entregar um cheque da EDP ao clube de futebol local, enquanto cidadão e não como ministro".

A frase originou a resposta de Pinho, com o governante a fazer o gesto de chifres. "Isto ultrapassa todos os limites", disse Bernardino, que confirmou ter recebido um pedido de desculpas de Santos Silva. Não recebeu, porém, um pedido de desculpa pessoal por parte de Pinho.

Perante estes acontecimentos, a bancada do PCP quer a demissão do ministro. Entretanto, Manuel Pinho reuniu-se, numa sala do Parlamento, com o ministro da Presidência Pedro Silva Pereira e o ministro dos Assuntos Parlamentares, Santos Silva. A reunião durou cerca de meia hora mas nada se sabe.