Embaixador português no Senegal suspeito em caso de prostituição

António Montenegro foi chefe de gabinete de José Lello

"Não tenho nada a apontar, como chefe de gabinete [António Montenegro] era um bom profissional”, disse José Lello ao PÚBLICO
Foto
"Não tenho nada a apontar, como chefe de gabinete [António Montenegro] era um bom profissional”, disse José Lello ao PÚBLICO Daniel Rocha

O embaixador português em Dacar, António Montenegro, foi chefe de gabinete de José Lello, entre 1999 e 2000, quando o actual deputado pelo PS exercia funções de secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

Questionado pelo PÚBLICO, José Lello confirmou que António Montenegro foi seu chefe de gabinete.

Já sobre a actual suspeita de que António Montenegro está envolvido num caso de prostituição no Senegal, onde está colocado, José Lello declarou: “Esta coisa que lhe imputam, não sabia. Li no jornal. Não tenho nada a dizer. Mas, a provar-se, não é de facto muito conciliável com a diplomacia”.

Quanto ao tempo em que trabalhou com António Montenegro, José Lello afirma: “Não tenho nada a apontar, como chefe de gabinete era um bom profissional”.

Lello explicou ao PÚBLICO que António Montenegro assumiu funções de chefe de gabinete no segundo Governo de António Guterres, quando o seu anterior chefe de gabinete, durante o primeiro governo (1995-1999), foi colocado num posto diplomático. Então António Montenegro foi para o seu gabinete, vindo do lugar de cônsul-geral de Portugal em Toronto.

Em 2000, José Lello transita para ministro da Juventude e do Desporto e António Montenegro fica no Ministério dos Negócios Estrangeiros.

“À época ele era muito bem visto e em Toronto fez um excelente trabalho”, sublinha José Lello, lembrando que para estar como chefe de gabinete na secretaria de Estado das Comunidades, no MNE, “tem de ser uma pessoa que saiba muito sobre comunidades portuguesas”.

Sugerir correcção