Dylan e McCartney vão gravar juntos no Verão

Foto

O ano passado, Paul McCartney afirmou publicamente que colaborar com Bob Dylan era uma das suas maiores ambições. No princípio deste mês, numa entrevista à revista americana "Rolling Stone", Bob Dylan mostrou abertura para uma colaboração com o ex-Beatle. Agora as duas figuras icónicas da cultura popular preparam-se para fazer mesmo história, aprontando uma parceria inédita que, segundo o jornal britânico "Daily Express", citando uma fonte próxima dos dois, poderá acontecer durante o Verão, na Califórnia, onde ambos os músicos têm casa. Segundo o jornal, ambos costumam passar uma temporada na Califórnia e será nessa altura, num ambiente privativo, que ambos se encontrarão.

A história teve o seu primeiro capítulo, o ano passado, quando McCartney afirmou que "seria muito amável" gravar com Dylan "porque o admiro muito". Este escancarou a porta para uma eventual colaboração, há semanas, dizendo que "seria fascinante fazer algo com Paul", embora tivesse acrescentado que os caminhos teriam que se cruzar para que algo acontecesse. O assunto surgiu, durante a entrevista, quando lhe lembraram que havia composto, na década de 80, canções com outro ex-Beatle, o falecido George Harrison, no supergrupo Traveling Wilburys, que contou também com outros músicos conhecidos, como Roy Orbison, Tom Petty ou Jeff Lynne da Electric Light Orchestra.

Depois da publicação da entrevista, no princípio do mês, um porta-voz do ex-Beatle veio a público afirmar que McCartney "estaria interessado num encontro, tendo como finalidade gravarem qualquer coisa, não especificada, em conjunto. Tudo indica, portanto, que o enlace vai mesmo acontecer.

Actualmente com 68 anos, Dylan, lançou recentemente o seu 33º álbum de originais, "Together Through Life", tendo alcançado o primeiro lugar do top de vendas nos Estados Unidos e Inglaterra, os dois tradicionais barómetros da indústria da música. De alguma forma é o renascimento comercial de Dylan que, com a excepção do álbum "Modern Times" de 2006, já não alcançava um primeiro lugar na tabela de vendas americana desde "Desire", de 1976.

Com 66 anos, McCartney tem estado mais discreto. O ano passado editou o álbum "Electric Arguments" referente ao seu projecto paralelo The Fireman. O seu último álbum de originais em nome próprio data de há dois anos, "Memory Almost Full", um disco que teve um impacto discreto. Agora podem estar prestes a formar a dupla dos sonhos de qualquer produtor musical.