Itália

Sismo: Berlusconi pede aos sobreviventes que encarem a situação como "um fim-de-semana no parque de campismo"

O sismo já provocou pelo menos 250 mortos
Foto
O sismo já provocou pelo menos 250 mortos Chris Helgren/Reuters

O primeiro-ministro italiano voltou às declarações polémicas. Referindo-se às vítimas do sismo que na passada segunda-feira abalou a região centro de Itália e aos milhares de desalojados que estão provisoriamente acomodados em tendas, Silvio Berlusconi disse para encararem a situação como "um fim-de-semana no parque de campismo".

“Não lhes falta nada. Têm cuidados médicos, comida quente... Claro que o actual lugar de abrigo é provisório, mas há que encarar a situação como um fim-de-semana no parque de campismo”, respondeu Berlusconi à cadeia de televisão alemã N-TV.

O sismo já provocou pelo menos 272 mortos, entre os quais 16 crianças, segundo o mais recente balanço divulgado hoje pela Protecção Civil, citada pela agência Ansa.

O número de feridos é de cerca de mil) enquanto o total de pessoas desalojadas é já superior a 28 mil, de acordo com a agência italiana Ansa

Berlusconi prometeu ontem a reconstrução da região afectada pelo abalo. Depois de visitar a cidade de L'Aquila, comprometeu-se com as vítimas, anunciando a constituição de "fundos para garantir às vítimas hipotecas com taxas de juro mais baixas" e a determinação do Executivo em "proporcionar todos os recursos necessários" a uma população acossada pela crise financeira e pela Natureza, com a ajuda de todos os particulares que entretanto se mobilizaram.

O primeiro-ministro renunciou, porém, visitar pessoalmente as áreas mais atingidas da cidade de L'Aquila, ao contrário do que tinha anunciado anteriormente.

O Papa Bento XVI anunciou entretanto que se deslocará "assim que possível" ao local da catástrofe, informa a agência AFP.

Notícia actualizada às 19 e 41