Foi abordado por grupo de desconhecidos

Paulo Assunção abandonou FC Porto por ter sido ameaçado com tiro no joelho

Apesar de os responsáveis do FC Porto lhe terem garantido segurança, Assunção resolveu sair após a ameaça
Foto
Apesar de os responsáveis do FC Porto lhe terem garantido segurança, Assunção resolveu sair após a ameaça Paulo Pimenta (arquivo)

O médio brasileiro Paulo Assunção, actual jogador do Atlético de Madrid, revelou que resolveu não renovar contrato com o FC Porto no ano passado, depois de ter sido confrontado por pessoas que ameaçaram dar-lhe um tiro no joelho caso não prolongasse o vínculo com o clube portista.

“Estávamos em conversações para renovar em Abril. Saí do Olival [centro de estágio do FC Porto, em Gaia] e vieram cinco indivíduos e disseram-me que se não renovasse até quarta-feira levava um tiro no joelho. Eu expliquei que as coisas não são assim. Depois, saí dali e fui directo à polícia, enquanto eles me perseguiam de carro”, revelou Paulo Assunção, numa entrevista à RTP.

Na mesma entrevista, Paulo Assunção disse ainda que os responsáveis do FC Porto lhe garantiram segurança, mas o brasileiro decidiu não renovar contrato. “Isso transtornou-me e perdi a confiança. A minha esposa teve de mudar ritmo de vida dela e outras coisas e a minha família é tudo para mim.”

Paulo Assunção disse ainda que espera representar Portugal. “A selecção é outro sonho que eu tenho, porque Portugal é um país que me acolheu muito bem, as pessoas me trataram muito bem a mim e à minha família. Seria um gesto de retribuição para com o povo português”, explicou o jogador, afirmando mesmo que recusaria jogar pelo Brasil caso Dunga o convocasse.