De acordo com o seu irmão

Jornalista iraquiano que atirou sapatos a Bush foi espancado

A reacção de Bush deixou muitos espantados, não só pela agilidade com que escapou, ainda que por pouco, aos sapatos voadores, como por ter mostrado apenas surpresa durante o incidente
Foto
A reacção de Bush deixou muitos espantados, não só pela agilidade com que escapou, ainda que por pouco, aos sapatos voadores, como por ter mostrado apenas surpresa durante o incidente Kevin Lamarque/Reuters

O jornalista iraquiano que atirou os seus sapatos ao Presidente norte-americano, George W. Bush, foi espancado durante a detenção, indicou hoje o seu irmão. Um porta-voz do Exército iraquiano indicou, porém, que estas alegações são infundadas e que o jornalista goza de perfeita saúde.

Muntadar al-Zaidi tem uma mão partida, algumas costelas partidas e apresenta hemorragias internas, bem como uma vista magoada, indicou hoje à imprensa o seu irmão mais velho, Dargham, citado pela BBC.

Zaidi transformou-se num herói em todo o Mundo Árabe, com centenas de milhares de pessoas a manifestarem-se pela sua libertação, depois de ter atirado ambos os sapatos ao presidente norte-americano durante uma conferência de imprensa de Bush em Bagdad, chamando-lhe “cão”. Atirar os sapatos a alguém é considerado o derradeiro insulto no mundo árabe e, logo após o incidente, o jornalista foi detido pelas forças de segurança iraquianas, que ficaram com os sapatos como prova.

Embora ainda não seja clara qual a actuação da justiça iraquiana, esta poderá preparar-se para o acusar por "insulto ao Estado iraquiano", segundo o conselheiro para os media do Governo. Um advogado iraquiano disse, por seu lado, à agência AFP que Zaidi pode enfrentar acusações desde insulto a um chefe de Estado visitante, punido com dois anos de prisão, até tentativa de homicídio, que tem uma pena de até 15 anos de prisão.

De acordo com fontes oficiais não identificadas em declarações à BBC, o jornalista terá sido interrogado pelas forças iraquianas se alguém lhe teria pago para atirar os sapatos a Bush.

O seu irmão, Dargham al-Zaidi, disse igualmente à BBC que acredita que o jornalista terá sido enviado para um hospital militar norte-americano na capital iraquiana depois de, no seu entender, ter sido espancado pelos seus captores.

Dargham al-Zaidi indicou igualmente que o seu irmão ainda não terá pedido um advogado, embora já tenham chovido declarações de advogados, americanos e árabes, dispostos a defender Zaidi de graça. Segundo o advogado que defendeu Saddam Hussein, Khalil al-Dulaimi, pelo menos 200 advogados ofereceram os seus serviços ao iraquiano.

O repórter deixou todos incrédulos numa conferência de imprensa com Bush e o primeiro-ministro, Nouri al-Maliki, quando se levantou, atirou um sapato em direcção a Bush, gritando "esta é uma despedida do povo iraquiano, seu cão", e atirou o outro sapato de seguida.

A reacção de Bush deixou muitos espantados, não só pela agilidade com que escapou, ainda que por pouco, aos sapatos voadores, como por ter mostrado apenas surpresa - até sorriu - durante o incidente.

O incidente do sapato, no domingo, não causou vítimas para além do olho negro da porta-voz de Bush, Dana Perino, que na confusão que se seguiu ao arremesso do primeiro projéctil foi atingida por um microfone derrubado por um segurança.

Entretanto, já estava na Net um jogo básico de sapatos contra Bush (http://bushbash.flashgressive.de/).