Sporting entra a ganhar na Taça da Liga com vitória sobre o Marítimo

Depois da goleada com o Benfica para a Liga (6-0), os madeirenses voltaram a ser castigados por um "grande" com um resultado desnivelado

a Um "chapéu" primoroso de Liedson e uma emenda de Romagnoli no último suspiro da recepção ao Marítimo confirmaram, ontem, a entrada com o pé direito do Sporting na fase de grupos da Taça da Liga. Os madeirenses foram impotentes para suster os "leões" e quase inexistentes em termos atacantes, acabando por sofrer mais três golos, que somaram à goleada contra o Benfica, na última jornada da Liga (0-6). A vitória "leonina", contudo, começou a desenhar-se cedo, com um golo de Djaló, ainda na primeira parte, deixando claro que os primeiros três pontos dos lisboetas no Grupo B, que integra ainda o Rio Ave e o Paços de Ferreira, dificilmente fugiriam.Um primeiro tempo de bom nível e uma segunda parte mais calma, mas sem nunca deixar de dominar a partida, foi a receita dos sportinguistas para ultrapassar os insulares. Tudo perante um cenário desolador de bancadas vazias em Alvalade, com os adeptos pouco receptivos aos apelos de um jogo antecipado da primeira jornada da terceira fase da Taça da Liga, onde os seis primeiros classificados do último campeonato se juntam aos seis apurados das duas fases anteriores desta competição, divididos em três grupos de quatro equipas.
Durante os primeiros 45', os "leões" não deram qualquer espaço ao Marítimo para construir o seu jogo atacante, acabando os madeirenses por destacar-se em termos defensivos, onde procuravam apagar a humilhação com o Benfica.
Se os lisboetas conseguiram construir autênticas vias rápidas em direcção à área madeirense, faltavam-lhes as vias de acesso à baliza de Marcelo Boeck, que rendeu Bruno Grassi, uma das vítimas dos "encarnados" no Funchal. Mas estas acabaram por surgir a espaços, acabando por premiar a persistência sportinguista.
Com o regresso de Miguel Veloso ao lado canhoto da defesa, Paulo Bento apostou (bem) em Adrien como médio mais defensivo. Atrás de uma dupla atacante de sucesso Liedson-Djaló, Moutinho acabou por ser um elemento apagado, ladeado por Vukcevic e Izmailov. Se o poste ainda evitou a Izmailov um golo mais madrugador, aos 8', nada impediu Djaló de inaugurar o marcador, quase meia hora depois. Um golo que trouxe alguma justiça ao resultado, mas que surgiu de um livre mal assinalado no lado esquerdo do ataque "leonino".
No segundo tempo, o Marítimo tentou mostrar argumentos para discutir os pontos, com Olberdam a testar os reflexos de Tiago, aos 47'. Só que Liedson, aos 70', sentenciou a partida, após uma recuperação de bola de Izmailov. No último lance do encontro, Romagnoli estabeleceu o resultado final.
No dia 14 de Janeiro, os "leões" defrontam, em Vila do Conde, o Rio Ave (o Marítimo recebe o Paços de Ferreira), encerrando a fase de grupos, no dia 18 de Janeiro, com a recepção ao Paços de Ferreira (o Rio Ave desloca-se aos Barreiros).
Sporting 3
Marítimo 0
Jogo no Estádio José Alvalade, em Lisboa.
Assistência 7478 espectadores
Sporting Tiago 6, Abel 6 (Caneira -, 72'), Daniel Carriço 6, Polga 6, Miguel Veloso4, Adrien 6 (Romagnoli 6, 75'), Vukcevic 6 (Rochemback 6, 59'), João Moutinho 5, Izmailov 6, Liedson 7, Yannick Djaló 7.
Marítimo Marcelo Boeck 5, Fernando Cardozo 4, João Guilherme 4, Antoine van der Linden 5, Paulo Jorge 6 (Vítor Júnior 6, 49'), Olberdam 5, Bruno 5, Miguelito 4, Marcinho 5 (Pedro Moutinho 5, 73'), Babá 4, Manú 5.
Árbitro Carlos Xistra 4, de Castelo Branco Amarelos Manu (41'), João Guilherme (77') e Caneira (86').
Golos 1-0, por Yannick, aos 37'; 2-0, por Liedson, aos 70'; 3-0, por Romagnoli, aos 90'+3'.