Viseu: semáforos "cronometrados" do Rossio fazem sucesso entre peões e automobilistas

Foto
O sistema está a funcionar há um mês na cidade PÚBLICO (arquivo)

A funcionar há um mês, os painéis de contagem regressiva dos cinco semáforos do Rossio estão a revelar ter sido uma boa aposta e, por isso, a autarquia pretende instalá-los em "pelo menos outros tantos" semáforos até ao final do ano, segundo o seu vice-presidente, Américo Nunes.

"Avançámos com a experiência nesta zona central da cidade e o acolhimento é muito positivo. Estamos neste momento já para ampliar a outras áreas sensíveis", adiantou.

Esta ideia já foi implementada nalguns países, sobretudo do Norte da Europa, tendo chegado a Viseu graças às muitas vantagens que apresenta, nomeadamente o "aumento da segurança de peões e automobilistas" e a "melhor fluidez de trânsito".

"Verificamos que, no atravessamento, as pessoas têm outra postura. O peão quando verifica que falta um ou dois segundos para que o verde se extinga e passe a vermelho já não atravessa", contou.

Por seu turno, "o automobilista engrena a primeira velocidade quando faltam dois segundos para aparecer o verde", podendo até esse momento descansar os pés.

"Não há necessidade de fazer arranques bruscos, de ter o pé na embraiagem e o carro numa rotação superior, consumindo mais combustível e produzindo mais CO2 e outros gases nocivos", acrescentou o autarca, frisando que esta demonstrou ser uma solução em que todos ganham.

Outra das vantagens dos painéis de contagem regressiva é o seu "custo muito acessível", de "apenas algumas dezenas de euros por unidade", o que, segundo Américo Nunes, leva a uma "óptima relação custo/benefício".

Os segundos de espera podem ser mais ou menos, dependendo do trânsito e do número de passagens de peões na passadeira.

"Por exemplo, no Rossio sabemos que há um fluxo muito grande de pessoas e, portanto, a temporização para os peões é superior a outra zona onde passam em menor número. Privilegiamos o peão ou o automobilista em função das contagens de passagem", explicou.

Quem tem de passar frequentemente pelo Rossio, zona central da cidade de Viseu, onde está o edifício da Câmara Municipal, mostra-se satisfeito com estes semáforos "cronometrados".

"Acho que foi uma boa iniciativa, principalmente para os peões. Temos um tempo de espera e sabemos quantos segundos faltam para podermos atravessar a estrada", afirmou Teodoro Cassoma.

Há também quem deseje que a medida chegue a outros concelhos do país, como Maria de Lurdes Alves, com residência em Gouveia, mas que com o marido visita frequentemente o filho e a neta em Viseu. "Assim a gente está tranquila, sabe o tempo que pode esperar. Devia haver mais, não era só aqui", referiu, lembrando que se verificam muitos atropelamentos nas passadeiras, que poderiam ser evitados com a adopção desta medida.

Custódio Duarte, taxista com praça no Rossio, garantiu que também a sua classe está satisfeita com esta inovação. "Até dá aproveitamento no combustível, porque controlamos com eficácia o sistema de passar. Estou convencido de que foi uma rica medida", realçou.

Sugerir correcção
Comentar