Operação feita através do Banco Insular

BPN vendeu ao desbarato empresa onde investiu milhões

O BPN encaixou, em 2006, 5,5 milhões de euros com a venda de uma empresa brasileira onde durante anos injectou 230,6 milhões de euros, através do banco "off-shore" Insular.

De acordo com os dados do Banco Central do Brasil (BCB), entre Novembro de 2003 e Outubro de 2006 o Banco Insular enviou 230,6 milhões de euros para a Ergi Empreendimentos, uma promotora imobiliária detida pelo BPN e por outros investidores portugueses e brasileiros.

Segundo as mesmas fontes, a Ergi - anteriormente denominada Chamonix - foi vendida em Dezembro de 2006 ao grupo brasileiro WTorre, por 385 milhões de reais (135 milhões de euros, ao câmbio da altura), sendo que, deste montante, o Banco Português de Negócios recebeu 5,5 milhões de euros, de acordo com o Relatório e Contas do Grupo BPN.

A Lusa tentou apurar junto de uma porta-voz do BPN a quanto ascendiam as participações dos diferentes investidores na Ergi e sobre o que sucedeu à dívida contraída pela promotora junto do Insular, mas a referida fonte oficial não quis comentar.

Ao todo, ocorreram 47 remessas de dinheiro entre o Insular e a Ergi, sendo que as últimas tiveram lugar dois meses antes da venda à WTorre. Em Outubro de 2006, o Banco Insular realizou doze transferências de dinheiro, com um valor total de 92,5 milhões de dólares norte-americanos (72,4 milhões de euros, ao câmbio de então).

Entre 2002 e 2008, o BPN controlou o Banco Insular de Cabo Verde através de sociedades off-shore. Em meados de 2008, já após a saída de José de Oliveira e Costa da presidência do banco, o BPN reconheceu perante o Banco de Portugal que era o verdadeiro dono do Insular.

Segundo o governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, o Insular era utilizado para ocultar perdas que, se fossem incluídas no balanço do BPN, provocariam o seu colapso. A descoberta destas perdas, que, em conjunto com outras detectadas num balcão virtual, representam mais de 700 milhões de euros, levou à decisão de nacionalizar o BPN, na semana passada.

A Lusa analisou os movimentos em documentos do Banco Central do Brasil, que estão disponíveis para consulta pública, apurando que entre Novembro de 2003 e Dezembro de 2007 o Banco Insular realizou 53 remessas de dinheiro para empresas brasileiras do universo da Sociedade Lusa de Negócios, num total de 108,2 milhões de euros e de 164 milhões de dólares - um total de 239,8 milhões de euros.

Sugerir correcção