Documentário baseado no testemunho do seu secretário estreia esta quinta-feira no Vaticano

João Paulo II foi ferido em Fátima em 1982

João Paulo II morreu no dia 2 de Abril de 2005
Foto
João Paulo II morreu no dia 2 de Abril de 2005 Alessandro Bianchi/Reuters (arquivo)

O Papa João Paulo II, que morreu em 2005, foi ferido em Fátima, na sua primeira viagem a Portugal, em 1982. A revelação é feita pelo antigo secretário do Papa, o agora cardeal Stanislaw Dziwisz, num documentário de memórias que estreia amanhã no Vaticano, perante o Papa Bento XVI. O ferimento foi mantido em segredo até agora.

O documentário, intitulado “Testemunho”, é baseado no livro de memórias de Dziwisz, publicado em 2007, “Uma Vida com Karol”, e estreia no dia em que se cumpre o 30º aniversário da eleição de Karol Wojtyla como Papa João Paulo II. O agora cardeal recorda também que, quando João Paulo II foi incapaz de falar perante a multidão reunida na Praça de São Pedro, poucos dias antes da sua morte, disse aos seus próximos que, se ficasse sem falar, era chegada a altura de morrer.

João Paulo II veio pela primeira vez a Fátima em Maio de 1982, um ano depois de ter sido atingido a tiro na Praça de São Pedro, em Roma, pelo extremista turco Mehmet Ali Agca. Quando atravessava o recinto do santuário português, um padre tradicionalista espanhol aproximou-se dele com uma faca, antes de ser afastado pelos seguranças que se encontravam no local. A versão oficial era que Juan Krohn não tinha conseguido acercar-se de João Paulo II e que este nem sequer se teria apercebido do incidente. Algumas fontes chegaram mesmo a negar que o sacerdote estivesse armado.

“Posso agora revelar que o Santo Padre foi ferido. Quando chegámos ao quarto [na Casa Nossa Senhora do Carmo, no santuário] havia sangue”, revela Dziwisz no documentário, citado pela Reuters.

Apesar do ferimento – cuja gravidade se desconhece – o Papa prosseguiu com a viagem tal como previsto e Krohn seria condenado a sete anos de prisão, findos os quais foi expulso de Portugal.

O documentário, assinado pelo também polaco Pawel Pitera e narrado pelo actor britânico Michael York, contém excertos da conversa com Dziwisz, imagens históricas e reconstituições de episódios da vida de João Paulo II representados por actores.

Entre eles surge o momento particularmente emotivo da última vez que o Papa surgiu à janela do seu apartamento no Vaticano, para saudar a multidão reunida na Praça de São Pedro, no Domingo de Páscoa, seis dias antes de morrer. Muito debilitado pela doença de Parkinson e por várias outras enfermidades, já depois de ter sido submetido a uma traqueotomia, o Papa tentou falar aos crentes, mas não conseguiu pronunciar qualquer palavra e foi encaminhado pelos seus auxiliares para o interior do quarto.

O seu secretário afirma que momentos depois, João Paulo II conseguiu recuperar algumas forças e, num sussurro, lhe confessou: “Se não conseguir voltar a falar, é tempo de partir”. Karol Wojtyla morreu no dia 2 de Abril de 2005, aos 84 anos de idade, após um dos mais longos pontificados da história.