Para favorecer um candidato presidencial

Putin acredita que os Estados Unidos provocaram a crise na Geórgia

Putin acredita que a decisão dos EUA visava favorecer um dos candidatos à Casa Branca
Foto
Putin acredita que a decisão dos EUA visava favorecer um dos candidatos à Casa Branca Tony Gentile/Reuters

Alguém nos Estados Unidos tinha interesse em provocar o conflito na Geórgia. É este o entendimento do primeiro-ministro russo Vladimir Putin que acrescenta que a iniciativa tinha como objectivo ajudar um dos candidatos à Casa Branca.

“Não é só o facto dos americanos não condenarem os actos criminosos dos líderes da Geórgia. Eles armaram e treinaram as forças militares da Geórgia”, disse Putin numa entrevista à CNN que passou parcialmente na televisão russa.

“Para quê procurar um compromisso para o processo de paz? É mais fácil armar um dos lados e provocá-lo para que mate o outro. E o trabalho está feito”, disse Putin.

Suspeito que alguém nos EUA criou especialmente este conflito com o objectivo de tornar a situação mais tensa e criar espaço para que um dos candidatos às presidenciais de Outubro ganhe vantagem sobre o outro”, acrescentou Putin.

A crise actual no Cáucaso teve início quando a Geórgia decidiu impor a força na região separatista da Ossétia do sul e a Rússia contra-atacou ocupando inclusivamente território georgiano. A Ossétia do sul, apesar de fazer parte das fronteiras geográficas internacionalmente reconhecidas da Geórgia, reclama um estatuto de independência, com Governo próprio, desde o desmantelamento da ex-URSS.

Esta semana Moscovo anunciou o reconhecimento da independência da Ossétia do sul e da Abkhásia, outra das duas regiões separatistas. Tanto os EUA como a União Europeia exigem a Moscovo o cumprimento do acordo de cessar-fogo assinado por Medvedev e Sarkozy, que obriga à retirada das tropas russas de território da Geórgia.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações