Momentos de uma carreira

Selecção, Fiorentina, Milan e Benfica marcam o percurso de Rui Costa ao longo de 18 anos

15 Maio 1991Portugal podia sagrar-se bicampeão mundial de sub-20. Bastava que Rui Costa marcasse o penálti decisivo. "Tínhamos ainda dois penáltis e só precisávamos daquele. Por isso fui tranquilo e marquei. Saí-me bem", confessou.

22 Setembro 1991
Primeira presença na equipa principal do Benfica. Substituiu José Carlos aos 70 minutos na partida contra o Estoril, que terminou empatada a dois golos.

10 Novembro 1991
Duas estreias num só dia. No Estádio da Luz, contra o Famalicão (2-1), subiu ao relvado como titular do Benfica pela primeira vez e ainda teve como prémio o primeiro golo ao serviço do seu clube do coração.

15 Novembro 1995
No "seu" Estádio da Luz, lotado, Rui Costa marca um dos golos mais bonitos da sua carreira, segundo o próprio. Desta vez com a camisola de Portugal vestida, um remate de fora da área abriu caminho à indispensável vitória portuguesa sobre a República da Irlanda, que colocou a selecção no Europeu de 1996.

13 Agosto 1996
O jogo em que Rui Costa chorou. A Fiorentina visitou o Estádio da Luz para um jogo particular e o antigo médio benfiquista marcou um golo contra o Benfica. A emoção foi demasiado forte e foi impossível conter as lágrimas.

25 Agosto 1996
Realizou uma exibição "grandíssima" na vitória da Fiorentina sobre o Milan por 2-1, em San Siro, que valeu a única Supertaça italiana do clube de Florença. Pouco tempo antes, tinha conquistado a Taça de Itália batendo a Atalanta, naquele que foi o seu primeiro título internacional.

13 Julho 2001
Conquistou a sua segunda Taça de Itália, num jogo frente ao Parma, que marcou a sua despedida da Fiorentina. Foi o adeus oficial ao clube onde esteve mais anos (sete anos), fez mais jogos e marcou mais golos ao longo da sua carreira.

26 Agosto 2001
Rui Costa fazia o seu primeiro jogo com a camisola do Milan, em Brescia. Com apenas 24 minutos de jogo o português lesiona-se com gravidade no braço direito
e tem de ser submetido a uma operação, ficando afastado dos relvados cerca de um mês.

28 Maio 2003
Em Manchester, contra a Juventus, o Milan ganha
a final da Liga dos Campeões
nos penáltis, consagrando Rui Costa, pela única vez ao longo
da sua carreira, campeão europeu de clubes. Dois meses depois, bateu o FC Porto de José Mourinho na final da Supertaça Europeia.

2 de Maio 2004
Finalmente, dez anos depois de ter chegado a Itália, Rui Costa sagra-se campeão italiano, numa altura em que passa mais tempo no banco de suplentes do que em campo. A chegada de Kaká ao clube de Milão retirou espaço ao português, mas o brasileiro é o primeiro a admitir que aprendeu muito com o "maestro".

4 Julho 2004
Foi a despedida da selecção que ele nunca desejaria ter vivido. Depois de 94 jogos e 26 golos, Rui Costa disse adeus à selecção num dos jogos, simultaneamente, mais cruéis e gloriosos da história do futebol português. Pela primeira vez na final de uma grande competição internacional, Portugal perdeu o jogo decisivo do Euro 2004, contra a Grécia.

25 Maio 2006
Regressa ao Benfica e é apresentado como reforço do Benfica. "Estou aqui de coração aberto, porque sempre senti que esta é a minha casa."