Anuncio feito pelo arcebispo de Braga

Cónego Melo morreu hoje em Fátima

Monsenhor Eduardo Melo Peixoto (1927/2008)
Foto
Monsenhor Eduardo Melo Peixoto (1927/2008) Hugo Delgado (arquivo)

O monsenhor Eduardo Melo Peixoto, mais conhecido por cónego Melo, morreu hoje em Fátima revelou o arcebisbo de Braga, D. Jorge Ortiga.

Fonte do santuário de Fátima adiantou que foi encontrado morto no quarto em que se encontrava hospedado da Casa Nossa Senhora do Carmo, tendo o corpo já sido transportado para o Instituto de Medicina Legal de Tomar.

Segundo fonte da arquidiocese de Braga, o corpo deverá ser transladado ainda hoje para uma igreja da cidade, provavelmente para a Sé, onde será velado em câmara ardente.

O sacerdote estava em Fátima para participar num encontro de cursilhos da Cristandade que está a decorrer no Santuário e terá morrido de causas naturais durante a noite, tendo sido encontrado deitado na cama hoje de manhã.

Em declarações à Lusa, fonte do Santuário de Fátima endereçou, em nome da instituição, as condolências à família e à arquidiocese de Braga. "Merece a maior consideração pelo trabalho desenvolvido", acrescentou a mesma fonte.

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Mesquita Machado considera que o falecimento do cónego Melo é uma "grande perda" para a Igreja, o país e, sobretudo, para a cidade. "Monsenhor Eduardo Melo era um grande homem, um grande sacerdote e um grande bracarense, que tudo fazia pela cidade, pelas suas instituições e pelas suas gentes", afirmou.

O autarca socialista acentuou que o Cónego Melo, além da sua extensa actividade no seio da Arquidiocese de Braga da Igreja Católica, estava presente em muitas outras instituições da cidade, como o Sporting de Braga, tudo fazendo para as ajudar".

Filho de um industrial bracarense, Eduardo de Melo Peixoto nasceu a 30 de Outubro de 1927 em São Lázaro, Braga, e foi ordenado sacerdote em 1951, tendo depois assumido o papel de vigário-geral da arquidiocese até 2002.