Governo britânico nacionaliza banco Northern Rock

A decisão do executivo surge depois das duas ofertas de compra do banco, especializado na concessão de crédito hipotecário, terem sido "chumbadas"

a O Governo britânico de Gordon Brown anunciou o que já todos previam: a nacionalização "temporária" do Northern Rock, que tem estado sob protecção do Banco de Inglaterra. Esta medida, de natureza extrema, visa "travar" a sua falência (ou a venda ao desbarato), na medida em que a instituição enfrenta dificuldades financeiras graves, desencadeadas pela crise do subprime, e que levaram as autoridades a injectar mais de 35 milhões de euros. Ontem, o ministro das Finanças britânico, Alistair Darling, convocou a comunicação social para justificar a intenção de estatizar o Northern Rock: "Dadas as condições actuais de mercado, não pensamos que as ofertas apresentadas garantam uma valorização suficiente para o contribuinte." O executivo optou por avançar com legislação que "coloca" o banco "num período temporário de nacionalização". O ministro diz que antes de decidir "consultou o Banco de Inglaterra e a Autoridade dos Serviços Financeiros (FSA)", a entidade de supervisão dos mercados britânicos.
Além de terem chumbado a proposta de compra do Northern Rock apresentada por um actual dirigente da instituição financeira, Paul Thompson, as autoridades vetaram a oferta da Virgin, pertencente a Richard Branson, que se propunha injectar dinheiro no banco e depois fundi-lo com Virgin Money, designação com a qual seria rebaptizado. Thompson propunha, no quadro de um plano de reestruturação do banco, um aumento de capital de, no mínimo, 700 milhões de euros e reduzir a dimensão da operação bancária.
Ao optar por nacionalizar o Northern Rock, as autoridades britânicas adoptaram uma solução que, na prática, visa criar as condições para o Governo injectar dinheiro no banco em dificuldades, para, depois, colocar as suas acções no mercado. No âmbito da sua intervenção, o Banco de Inglaterra já canalizou para o Northern Rock 35 milhões de euros, o que impediu a sua falência e possibilitou a restituição dos depósitos aos clientes.
O Northern Rock foi o protagonista europeu mais mediático da crise internacional do subprime, isto depois de durante semanas os seus clientes terem formado filas de espera à porta dos balcões para levantarem as suas poupanças. A crise atingiu também os grandes grupo bancários mundiais, como o Citigroup, o maior em activos, e a Merril Lynch, e que registaram prejuízos históricos. E está agora a chegar aos grandes grupos seguradores mundiais.