Rússia assina acordo com a Sérvia para reforçar posição no sector energético

a A Rússia ganhou ontem maior controlo sobre o fornecimento de energia à Europa. Assinou um acordo com a Sérvia que estabelece a compra pela Gazprom, a empresa petrolífera estatal russa, de 51 por cento da NIS, a empresa sérvia com o monopólio do sector energético naquele país.O acordo foi assinado no Kremlin pelo Presidente russo, Vladimir Putin, o seu homólogo sérvio, Boris Tadic, e o primeiro-ministro da Sérvia, Vojislav Kostunica, que se encontram de visita a Moscovo.
Para além de vender a maior parte da NIS, por 400 milhões de euros, a Sérvia assegurou também a sua participação no gasoduto South Stream, um projecto de cerca de 10.000 milhões de euros que está a ser levado a cabo pela Gazprom e pela petrolífera italiana Eni. O objectivo é transportar o gás da Sibéria até à Europa através do mar Negro.
Ao assinar o acordo, Putin reiterou o apoio a Belgrado na sua oposição à independência do Kosovo. Mas o primeiro-ministro daquela província sérvia de maioria albanesa, Hashim Thaçi, disse na quinta-feira que a independência unilateral será declarada "em breve".
A União Europeia, que é maioritariamente favorável à independência do Kosovo, tem-se mostrado preocupada com a dependência energética de alguns países da Europa em relação à Rússia e promovido um outro gasoduto, o Nabucco, para trazer o gás da Ásia Central, via Turquia.
Esse projecto, no entanto, tem-se deparado com alguns entraves, com a dificuldade em conseguir um fornecimento de gás suficiente que justifique a sua execução.