Editora de Lobo Antunes tinha sido comprada em 1999 pelo grupo espanhol Planeta

Pais do Amaral comprou a D. Quixote

Fotogaleria
A compra da D. Quixote traduz a sexta compra do ano de Pais de Amaral na área editorial Nuno Ferreira Santos/PÚBLICO (arquivo)
Fotogaleria

O empresário Pais do Amaral comprou a Dom Quixote, editora de alguns dos mais importantes escritores portugueses, como António Lobo Antunes, Mário Cláudio e Lídia Jorge, e adquirida em 1999 pelos espanhóis do grupo Planeta.

Esta é a sexta compra do ano de Pais de Amaral na área editorial, o que o coloca o grupo na liderança das edições gerais, e no segundo lugar das edições escolares.

O negócio com o proprietário da D.Quixote, editora criada em 1965 por Snu Abecassis, terá sido fechado ontem. O ex-patrão da Media Capital (TVI) quer criar o maior grupo editorial de língua portuguesa para chegar aos mercados brasileiro e africano, em particular Angola e Moçambique.

A Dom Quixote, uma das mais emblemáticas editoras de língua portuguesa, possui um catálogo vivo com mais de 2000 títulos e é líder de mercado em áreas de literatura portuguesa e estrangeira, entre eles 22 prémios Nobel. Gabriel García Márquez é um deles.

Com este negócio, Pais do Amaral ficará detentor do maior grupo editorial de língua portuguesa, uma vez que já controla a Caminho adquirida em Junho deste ano, a ASA, a Texto Editoras, a Nova Gaia e a Gailivro, as três últimas editoras de livros escolares. Pais do Amaral, através da Caminho, tem o único Nobel português: José Saramago.

Sobre a ambição de crescer para o exterior e eventualmente comprar a Dom Quixote, foi relevante a afi rmação feita recentemente por Isaías Gomes Teixeira, responsável do grupo de Pais do Amaral: "Para se ser o maior grupo de língua portuguesa tem que se ter os autores portugueses, africanos e a componente de autores brasileiros. Porque daqui a um ano a empresa-mãe até pode estar no Brasil. Vamos ter que estar onde é preciso estar. É aí que perdemos ou ganhamos aos espanhóis". Com Isabel Coutinho