Primeiros trabalhos de Jorge Palma, GNR, Manuela Moura Guedes e Tantra em CD

Colecção "Do tempo do vinil", que recupera pop rock português dos últimos 40 anos, é lançada dia 28

A colecção "Do tempo do vinil" incluirá cerca de vinte álbuns de artistas e grupos portugueses
Foto
A colecção "Do tempo do vinil" incluirá cerca de vinte álbuns de artistas e grupos portugueses Paulo Ricca/PÚBLICO (Arquivo)

Os álbuns de estreia de Jorge Palma, GNR, Manuela Moura Guedes e Tantra vão ser editados pela primeira vez em CD no dia 28, no âmbito de uma colecção que nasce dos arquivos da editora Valentim de Carvalho.

A colecção "Do tempo do vinil" é um projecto dos jornalistas Jorge Mourinha, do PÚBLICO, e Miguel Francisco Cadete, director da revista “Blitz”, de recuperação de discos da música pop rock portuguesa que até aqui existem maioritariamente em vinil.

"São importantes documentos da música portuguesa recente que não tinham sido ainda vertidos para CD", afirmou Miguel Francisco Cadete.

O projecto de reedição de discos de música portuguesa desde os anos 1960 até ao início de 1980 já tem alguns anos, mas só agora foi concretizado, depois da editora Valentim de Carvalho passar a ser distribuída pela etiqueta Som Livre.

A colecção "Do tempo do vinil" incluirá cerca de vinte álbuns de artistas e grupos portugueses que fizeram a história do rock nos últimos 40 anos e que fazem parte dos arquivos da Valentim de Carvalho, que possui um dos maiores acervos de música portuguesa.

Os primeiros álbuns a serem editados são "Com uma viagem na palma da mão", de Jorge Palma, "Independança", dos GNR, "Alibi", de Manuel Moura Guedes, e "Mistérios e Maravilhas", dos Tantra.

No dia 28 será ainda editada em CD uma compilação dos Sheiks, intitulada "Missing You", com todas as gravações que o grupo fez para a Valentim de Carvalho entre 1965 e 1967.

O álbum incluirá ainda as versões espanholas de "Missing You" e "Tell Me Bird" e o single "Portugal é que é o tal"/"Eusébio", que o grupo gravou a propósito da presença portuguesa no Mundial de Futebol de 1966.

Cada um destes primeiros cinco álbuns terá som remasterizado, temas extras e um texto de um jornalista com depoimentos dos artistas que contextualizam a obra.

Nestes cinco álbuns colaboram os jornalistas Luís Pinheiro de Almeida, Jorge Manuel Lopes, Rui Miguel Abreu, Jorge Mourinha e Mário Lopes.

"Com uma viagem na palma da mão", de Jorge Palma, foi editado em 1975, inclui canções que o músico compôs no estrangeiro e teve uma primeira edição em vinil de apenas 300 exemplares.

O "Independança", álbum de estreia dos GNR editado em 1982, será agora reeditado em versão dupla, já que integra dois singles de 1981, "Portugal na CEE"/"Espelho Meu" e "Sê um GNR"/"Instrumental nº1", assim como o EP "Twistarte", de 1983.

"Alibi", o único álbum que Manuela Moura Guedes gravou, foi editado em 1982 e é hoje uma raridade, com música, letra, interpretação e produção de Rui Reininho, Vítor Rua e Tóli César Machado, a formação antiga dos GNR. O registo será reeditado com dois temas extras do single "Foram cardos foram prosas"/"Flor Sonhada".

O álbum "Mistérios e Maravilhas", do grupo de rock progressivo Tantra, já tinha sido editado em CD e foi lançado em 1977. Trinta anos depois é reeditado com o primeiro single do grupo, "Novos Tempos"/"Alquimia da Luz", de 1976 e inédito em CD.

"Esta colecção fazia falta, é uma questão de serviço público, de mostrar uma memória da música portuguesa que de outra maneira se perderia", explicou Jorge Mourinha.

Para o início de 2008 está prevista a reedição dos primeiros álbuns dos UHF, Telectu, Quinteto Académico, Quarteto 1111 e Petrus Castrus.

Ainda sem data, deverão também ser reeditados discos do Conjunto Mistério, do Conjunto Académico João Paulo ou de Rui Veloso.

A continuação da colecção dependerá, segundo Jorge Mourinha e Miguel Francisco Cadete, da aceitação por parte do público.

"A indústria discográfica está em crise, o prazo de validade do CD está perto do fim, mas acreditamos que a colecção vem colmatar uma lacuna que existia na música portuguesa", resumiu o director da “Blitz”.