Empate pobre na Reboleira com Scolari na assistência

a Luiz Felipe Scolari não é adepto de bancada. Pelo menos desde que veio para Portugal. São poucos os jogos a que o seleccionador nacional assiste ao vivo e raríssima (senão inexistente) a sua presença nos encontros disputados longe de Cascais, onde reside. Ontem foi excepção: o técnico ganhou coragem e foi à Reboleira.Pelo futebol (pobre) por ali apresentado, o treinador brasileiro irá recolher-se em sua casa na próxima jornada e reforçar a sua teoria de monitorizar via televisão os jogadores candidatos a um lugar na selecção. Ontem ganhou mais um ponto no reforço da sua teoria. Estrela e Marítimo não ajudaram a convencer o seleccionador.
Nem o golo 1000 do Marítimo no escalão principal mereceu os festejos apetecidos. Eduardinho apontara o primeiro na época 1978/79, agora Fernando arredondou o número: graças a um ressalto dentro da área, empatou o jogo. Até aí tinha estado o Estrela em vantagem, mas apenas durante 12 minutos.
Tiago Gomes fez de cabeça o primeiro golo da tarde, mas o Marítimo, com o estatuto de vice-líder do campeonato (e com quatro vitórias nas cinco jornadas disputadas), ripostou, se bem que timidamente. Depois do empate refeito, as equipas fecharam-se.
O cansaço provocado pelos jogos a meio da semana para a Taça da Liga pesou nas pernas dos jogadores. Mas não na língua do treinador do Estrela, que disse ainda não ter esquecido a eliminação às mãos do Benfica. "O objectivo era chegar à fase de grupos. Queríamos fazer mais algum dinheiro e por isso vamos ficar agora à espera que o Benfica devolva o dinheiro", disse, acintoso, Daúto Faquirá, reconhecendo que o objectivo dos "tricolores" é o campeonato.
O Marítimo averbou o primeiro empate na prova, mas segurou o segundo lugar, a cinco pontos do líder, o FC Porto. O Estrela não vence há quatro rondas e está a meio da tabela. PÚBLICO/Lusa
Jogo no Estádio José Gomes, na Amadora. Assistência: cerca de 1000 espectadores.
E. Amadora Nélson, Rui Duarte, Maurício, Wagnão, Cardoso, Fernando, Yoni (P. Pereira, 69"), Mateus (Luís Aguiar, 80"), T. Gomes, Moses (Mossoró, 56") e Ndiaye.
Marítimo Marcos, Ricardo Esteves, Edigle, Fernando (Gregory, 87"), Evaldo, Bruno, Olberdam, Marcinho, Fábio Felício (Djalma, 75"), Kanu (Márcio Mossoró, 75") e Makukula.
Árbitro: Bruno Paixão, de Setúbal.
Amarelos: Moses (13"), Kanu (22"), Ricardo Esteves (70"), Fernando (74"), Gregory (92") e Cardoso (92").
Golos: 1-0, por Tiago Gomes, aos 47"; 1-1, por Fernando, aos 59".
E. Amadora 1
Marítimo 1