António Costa abriu as portas dos Paços do Concelho ao líder espiritual tibetano visitou

Presidente da Câmara de Lisboa recebeu Dalai Lama

Dalai Lama está em Lisboa até amanhã
Foto
Dalai Lama está em Lisboa até amanhã Hugo Correia/Reuters

O líder espiritual tibetano Dalai Lama foi recebido hoje por António Costa e a vereação da Câmara de Lisboa como "uma figura internacional que tem contribuído para o diálogo e a tolerância entre culturas e religiões".

"Estamos aqui por ocasião desta visita de Sua Santidade a dar um sinal da importância dos valores da tolerância e da concordância entre as múltiplas profissões de fé e que estes valores são fundamentais na construção das sociedade modernas mais justas e solidárias", disse o autarca, ao receber o Prémio Nobel da Paz nos Paços do Concelho.

Na cerimónia, António Costa referiu que Lisboa é uma cidade multicultural e cosmopolita aberta a pessoas de diferentes países e credos religiosos, sendo esta dimensão da cidade uma "enorme mais valia, social, económica e cultural". "Através de políticas adequadas e da promoção do diálogo entre religiões e culturas conseguiremos alcanças níveis cada mais harmoniosos de integração entre várias comunidades", referiu.

Dalai Lama agradeceu a recepção do presidente da Câmara de Lisboa e mostrou-se satisfeito com o empenho manifestado pelo autarca em promover o diálogo. "Sou asiático e vocês são europeus, vivemos longe mas trabalhamos nas mesmas coisas", disse.

Na sua breve intervenção, o líder espiritual tibetano disse apreciar o esforço desenvolvido desejando sucesso nessa missão e arrancou sorrisos dos participantes da cerimónia ao brindar o autarca de Lisboa com um elogio à sua voz. "Tem uma voz muito bonita. Estou impressionado", disse.

No final da cerimónia, António Costa ofereceu ao Nobel da Paz e líder espiritual tibetano uma taça em porcelana e prata com o desenho do brasão da cidade de Lisboa e uma caravela. O Dalai Lama retribuiu com um livro com a sua assinatura e uma “katak”, uma espécie de lenço de cor branca, que é, explicou, tradicional da Índia, com seda chinesa e tem com a frase em tibetano "seja feliz de dia e de noite". Esta oferta, explicou, fabricada com o contributo de três povos (Índia, China e Tibete) simboliza a harmonia. A cor branca representa a pureza e a seda macia a generosidade.

Na manhã de hoje, o líder espiritual tibetano teve também um encontro à porta fechada e sem declarações no final com o Alto Representante das Nações Unidas para a Aliança das Civilizações, Jorge Sampaio.

Dalai Lama está em Lisboa desde quarta-feira para uma visita que inclui três dias de ensinamentos, uma conferência pública e encontros com deputados portugueses e com o presidente da Assembleia da República, Jaime Gama.

Além de três dias de ensinamentos, que terminam sábado, Dalai Lama realizará domingo uma conferência pública no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, sobre "O poder do Bom Coração".

O 14º Dalai Lama, Tenzin Gyatso, galardoado em 1989 com o Nobel da Paz, visitou pela primeira vez Portugal em Novembro de 2001, tendo estado em Lisboa, no Porto e no Santuário de Fátima. Nascido em 1935 no nordeste do Tibete, o Dalai Lama vive no exílio em Dharamsala, no norte da Índia, desde que fugiu do país em 1959, depois da invasão chinesa.