"Violações graves e sistemáticas"

Conselho dos Direitos Humanos da ONU denuncia "limpeza étnica continuada" em Darfur

O conflito em Darfur já provocou 200 mil mortos, segundo a ONU
Foto
O conflito em Darfur já provocou 200 mil mortos, segundo a ONU Zohra Bensemra/Reuters

O Conselho dos Direitos Humanos da ONU denunciou hoje a acção das milícias "que se dedicam a proceder a limpezas étnicas" na região sudanesa de Darfur e a impunidade de que estes grupos beneficiam por parte das autoridades do país.

Num relatório de nove páginas enviado ao Governo de Cartum, o conselho afirma-se preocupado com "as violações graves, sistemáticas e contrárias aos direitos do Homem, nomeadamente assassinatos, violações, deslocações forçadas e ataques contra a população civil que foram feitos e continuam a acontecer com impunidade na maior parte do território sudanês, particularmente em Darfur".

O conselho pede que o Governo sudanês "garanta que nenhum apoio financeiro ou de material seja fornecido às milícias que se dedicam à limpeza étnica e a atacar civis".

Este conselho da ONU é responsável por verificar o respeito do pacto internacional sobre os direitos civis e políticos — uma das principais ferramentas jurídicas da Declaração Universal dos Direitos do Homem.

Desde 2003 que a região de Darfur é palco de uma guerra civil que já provocou 200 mil mortos, segundo a ONU.