Oito peças para uma vida

Os grandes espectáculos, escolhidos pelo actor

O Render dos HeróisAutor José Cardoso Pires
Dramaturgia e encenação Fernando Gusmão
Música Carlos Paredes
Ano 1965
"Foi a peça de que eu mais gostei. Tem a ver connosco, portugueses. E gosto muito de José Cardoso Pires. Estava no Teatro Experimental do Porto e voltei para Lisboa para o fazer. Fazia de cego, que vê quando quer. É o povo português."

O Rei Lear Autor William Shakespeare
Encenação Richard Cotrell
Ano 1998, integrado nas comemorações dos 150 anos do Teatro Nacional D. Maria II e dos seus 50 anos de carreira
Jorge Sampaio condecorou-o com a comenda da Ordem Militar de Sant"Iago da Espada, em pleno palco, no final da representação da peça.

Rómulo O GrandeAutor Friedrich Durrenmat
Encenação Varela Silva
Teatro Nacional
Ano 1981
Vários prémios, entre eles o de melhor actor do ano.

Minetti, Retrato do Artista quando Velho Autor Thomas Bernhard
Encenação Ricardo Pais
Teatro Nacional D. Maria II
Ano 1990
Uma peça que de algum modo precedeu Rei Lear, pois nela o actor sonha representar aquele papel criado por Shakespeare. Como para a peça de Shakespeare, também nesta a representação exige que o actor exiba já um grande currículo. Foi, como declarou na altura, o seu "Lear antes do Lear". Representou o papel, aliás, convencido de que já não chegaria a oportunidade de subir ao palco como Rei Lear.

O Santo e a PorcaAutor Ario Suassuna
Encenação Fernanda Alves
Ano 1970

"Fi-lo em três teatros: ABC, Laura Alves e na Academia de Santo Amaro. Acabámos a fazer a peça numa matinnée para dois espectadores na plateia. Decidimos fazer o espectáculo porque os que gostam são os que vão. Correu tão bem, tão bem, que tivemos cinco panos! Passados bastantes anos, estava eu no Espaço Lisboa a almoçar com os filhos e a mulher, e vem-me o Abel Cruz, fotógrafo: "Estão ali duas pessoas que te querem dar um beijinho." Eram os dois espectadores. Pais dele. Para mim, não há número de espectadores. Aqueles que vão, merecem o nosso trabalho."

Boa Noite BetinnaComédia Musical
Teatro Laura Alves
"Esteve quase dois anos em cena. Durante a representação desta peça nasceu-me a minha filha Paula. O [segundo filho] João nasceu na outra comédia musical que fiz a seguir, também no Laura Alves."

E ainda Margarida da Rua e O Encoberto
Ruy de Carvalho aponta ainda, como duas peças também marcantes na sua carreira, a comédia musical Margarida da Rua, representada no Teatro Laura Alves, e O Encoberto, de Natália Correia, com encenação de Carlos Avillez e música de Fernando Guerra, estreada em 1976, no Teatro Maria Matos.