António Costa admite segundo pulmão verde para Lisboa nos 700 hectares do aeroporto da Portela e volta a defender a Ota

a O candidato do PS às eleições intercalares de Lisboa, António Costa, avançou ontem a ideia de criar um segundo pulmão verde em Lisboa na área ocupada pelo actual aeroporto da Portela."A cidade deve por exemplo pensar se não deve ter ali um segundo pulmão verde", disse António Costa aos jornalistas à saída de uma reunião com uma delegação da Associação Empresarial da Região de Lisboa (Aerlis).
Segundo António Costa, os 700 hectares ocupados actualmente pelo aeroporto da Portela poderão dar lugar a um segundo pulmão verde a seguir a Monsanto, que poderá ainda "ser complementado com um conjunto de actividades económicas não poluentes altamente qualificadas".
O candidato socialista à presidência da câmara considera que a discussão sobre o futuro da área ocupada pelo aeroporto será "uma das questões centrais do Plano Director Municipal (PDM)", que se encontra em processo de revisão.
O ex-ministro da Administração Interna sublinhou que não tem razões para pensar "de forma diferente de há 15 dias", quando ainda integrava o Governo de José Sócrates, que defende a localização do novo aeroporto na Ota. "O que é essencial para a cidade é ter um aeroporto com acesso fácil, cómodo e barato", afirmou.
Para António Costa, não é "interessante andarmos a repisar em questões envelhecidas. Discutir isso (a localização do aeroporto) é como andarmos a discutir localização da Ponte Vasco da Gama", argumentou.
Ana Gomes, crítica de José Sócrates, é um dos nomes que integram a comissão de honra de António Costa que será apresentada segunda-feira. A comissão integra ainda, entre outros, Basílio Horta, os ex-comunistas Rui Godinho e Vítor Costa, Medina Carreira, Freitas do Amaral, Diogo Vaz Guedes, Inês Pedrosa, que foi apoiante da candidatura de Manuel Alegre à presidência da República, Bénard da Costa, José Amaral, Jorge Sampaio, João Soares, Carlos Lopes e Fernando Mamede. PÚBLICO/Lusa
A candidatura socialista de António Costa à Câmara
de Lisboa vai começar a afixar hoje nas ruas capital o primeiro cartaz. Unir Lisboa é o lema da campanha e a palavra "Rigor", que já tinha sido revelada no lançamento da candidatura, surge mais uma vez em grande destaque.

Sugerir correcção