ONU pede mais ajuda para a zona de Tchernobil

a Fez ontem 21 anos que a explosão do reactor n.º 4 da central de Tchernobil deu origem ao maior desastre nuclear da História, contaminando uma grande extensão de território do que é hoje a Ucrânia, a Bielorrússia e a Rússia. Morreram 31 pessoas nos primeiros dois meses após o desastre. Mesmo 21 anos depois, uma zona de 30 quilómetros em volta das instalações nucleares continua fechada ao público. A ONU estima que cerca de nove mil pessoas acabarão por morrer devido a cancros causados pela radiação.Marcando o aniversário do desastre, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, pediu uma renovação da ajuda internacional para o desenvolvimento económico da zona, explicando que "o regresso à vida normal é uma perspectiva realista para as pessoas que vivem em Tchernobil", na Ucrânia - de onde tiveram de sair 300 mil pessoas na sequência do desastre de 1986. Para isso é preciso "novos empregos, mais investimento e o restabelecimento de um sentido de comunidade e auto-suficiência", disse Ban Ki-Moon.