Liga dos Campeões: Manchester goleia Roma por 7-1

Foto
Cristiano Ronaldo marcou dois golos no jogo com a Roma Max Rossi/Reuters

No jogo da primeira mão, os italianos tinham vencido os ingleses do United por 2-1, em Roma, mas hoje sofreram uma goleada em Manchester.

Com mais uma exibição memorável, coroada com os seus dois primeiros tentos na presente edição da prova (44 e 49 minutos), o jovem jogador português ficou intimamente ligado ao resultado mais desnivelado de sempre registado em fase tão avançada da "Champions".

Além de "bisar", o "7" do United fez a assistência (quinta na competição, igualando o brasileiro Juninho, do Lyon, que liderava a lista isolado) para o golo inaugural, apontado logo aos 11 minutos, por intermédio de Michael Carrick, que também "bisou", aos 60.

Os outros golos do conjunto de Manchester, que actuou desfalcado de Gary Neville, Vidic, Scholes e Saha, foram apontados por Alan Smith (17 minutos), Wayne Rooney (19) e o francês Patrice Evra (81), enquanto De Rossi apontou o golo solitário dos italianos (69).

Os 7-0 da Juventus ao Olympiakos, em 2003

O resultado conseguido pelo United não tem paralelo nesta fase da prova, sendo que, em todos os jogos da Liga dos Campeões (formato iniciado em 1992/1993), apenas se registou uma diferença maior, os 7-0 da Juventus ao Olympiakos, a 10 de Dezembro de 2003.

No que respeita aos sete tentos, apenas mais duas equipas os tinham conseguido: 7-2 do Paris Saint-Germain ao Rosenborg, em 2000/2001, e 7-2 do Lyon ao Werder Bremen, em 2004/2005, neste último caso em encontro dos oitavos-de-final. Mais, só o AS Mónaco, que goleou o Deportivo por 8-3, a 5 de Novembro de 2003.

Foi, assim, uma noite mágica para o Manchester United, que fica à espera de amanhã para saber se vai defrontar nas meias-finais os alemães do Bayern Munique ou os italianos do AC Milan, que se defrontam na Baviera, após o 2-2 de San Siro.

Chelsea chega à vitória aos 90 minutos

Por seu lado, o Chelsea, que tinha cedido um empate caseiro com o Valência (1-1), "gelou" Mestalla aos 90 minutos, numa altura em que o ganês Michael Essien apontou o 2-1 final, com um remate rasteiro e colocado, que Canizares não conseguiu segurar.

A formação espanhola, com Miguel durante os 90 minutos e Hugo Viana nos últimos 18, marcou primeiro, por Fernando Morientes, aos 32 minutos, mas não resistiu ao melhor segundo tempo dos londrinos, que empataram aos 52, com um tento do ucraniano Andrei Shevchenko.

Desta forma, o Chelsea, que contou todo o jogo com Ricardo Carvalho (Paulo Ferreira não saiu do banco), está, dois anos volvidos, de novo nas meias-finais e vai voltar, com toda a certeza, a defrontar o Liverpool, que, na primeira mão dos quartos-de-final, venceu fora os holandeses do PSV Eindhoven por 3-0.

Em 2004/2005, o conjunto comandado por José Mourinho, que já ganhou a Taça da Liga inglesa e também ainda corre pelas vitórias na Primeira Liga e na Taça de Inglaterra, foi derrubado pela equipa da cidade dos Beatles (0-0 em casa e 0-1 fora, com um golo do espanhol Luís Garcia... em que a bola não transpôs a linha fatal).

Futebol inglês poderá fazer história

Para a história vai também entrar, com toda a certeza, o futebol inglês, que, a menos que aconteça amanhã um impensável "milagre" em Anfield Road, vai ter três equipas nas meias-finais da prova, um feito jamais alcançado por qualquer país.

As meias-finais da Liga dos Campeões, onde já têm lugar assegurado duas formações inglesas (Manchester United e Chelsea), disputam-se a 24 e 25 de Abril e 1 e 2 de Maio.

Mas antes - já amanhã à noite -, os resultados dos jogos Liverpool-PSV e Bayern de Munique-AC Milan vão ditar os dois restantes semifinalistas.

Quartos-de-final da Liga dos CampeõesHoje

- Manchester United, Ing - AS Roma, Ita, 7-1 (1-2 na primeira mão)

- Valência, Esp - Chelsea, Ing, 1-2 (1-1)

Amanhã

- Liverpool, Ing - PSV Eindhoven, Hol (3-0)

- Bayern de Munique, Ale - AC Milan, Ita (2-2)