Armani acusada de "incitar ao turismo sexual" em anúncio

a As grandes marcas italianas continuam a ser alvo de críticas em Espanha. Depois da polémica à volta da campanha publicitária da Dolce & Gabbana - a Amnistia Internacional e outras organizações consideraram-na uma apologia à violência sobre a mulher - é agora a vez da Armani Junior, a linha para crianças e adolescentes do designer de moda Giorgio Armani.Numa das fotos que faz a promoção da nova colecção da marca aparecem duas meninas de origem asiática com cerca de oito anos, uma de calças de ganga e camisa branca, a outra com uns calções e um top. Para o provedor do Menor da Comunidade de Madrid, Arturo Canalda, a imagem está "no limite" da legalidade no que toca à publicidade com menores, parecendo "incitar ao turismo sexual". Para a marca, que publicou um comunicado na imprensa italiana, a reacção é "muito surpreendente". "Jamais imaginaríamos que se pudesse ver alguma malícia na imagem", diz o esclarecimento, citado pelas agências Reuters e AFP, referindo-se à foto publicada no seu site oficial (www.armanijunior.com). "Dado o estilo que sempre marca as nossas campanhas e o extremo cuidado que pomos na sua realização, estamos muito desiludidos que alguém possa dar-lhes interpretação diferente."
O provedor, que recebeu várias queixas de pais em relação à campanha, já pediu à empresa que retire a fotografia do site. "Não acho normal que duas meninas tão pequenas apareçam com os lábios pintados", acrescentou Canalda ao diário El País.
A Dolce & Gabbana já este mês retirara toda a publicidade em Espanha, devido à polémica com um cartaz.
O anúncio da Armani com duas meninas chocou o provedor do Menor da Comunidade
de Madrid