Administração da PT sente-se com apoio accionista reforçado

Granadeiro diz que a OPA da Sonaecom falhou porque o preço era baixo

Fotogaleria
Joana Bourgard/PÚBLICO
Fotogaleria

A OPA da Sonaecom falhou porque “o preço era inadequado”, disse o presidente da PT, Henrique Granadeiro, em conferência de imprensa, onde esteve com um ar visivelmente satisfeito.

Considerou também “histórico na vida da empresa” o capital representado na assembleia-geral de hoje – 67,5 por cento – onde a desblindagem do capital da empresa foi chumbada por 51,5 por cento do capital nela representado.

Este valor difere dos 46 por cento referidos anteriormente porque estes consideram também as abstenções, e portanto referem-se à percentagem do capital representado na assembleia.

Granadeiro considerou ainda que o programa de aquisição de accões próprias "vai ser fundamental para reforçar a posição" do actual núcleo de accionistas de referência de longo prazo.

“É com grande satisfação que anuncio que o processo da OPA chegou ao fim”, afirmou Granadeiro, que disse também que a administração não esquecerá que chegou ao fim deste processo de mais de um ano com “o apoio dos accionistas reforçado”, em função da evolução dos acontecimentos e do desfecho que hoje tiveram.

Mas a isso corresponde “a responsabilidade de construção de um novo futuro para a empresa”.