Né Barros, de asas abatidas no Teatro São João

With Drooping Wings, revisão da ópera Dido e Eneias de Henry Purcell, dá hoje início ao ciclo Movimentantes

Ela acha que tem dupla personalidade coreográfica: às vezes é a coreógrafa que trabalha com materiais textuais pré-existentes (materiais trágicos ou materiais épicos: bigger than life, portanto), às vezes é a coreógrafa obcecada com as questões da circulação (o trânsito entre não-lugares, sim-lugares e pata-lugares) e do território (a paisagem humanizada, a paisagem inteligente, diz). Às vezes também é as duas coisas ao mesmo tempo, como agora: With Drooping Wings, a criação que Né Barros hoje estreia no Teatro Nacional S. João (TNSJ), Porto, é uma visita a materiais textuais pré-existentes (o mito de Dido e Eneias, na versão para ópera de Henry Purcell) e também um ensaio sobre a circulação e o território (as personagens fixam no chão, a giz, o percurso que fazem em cima do palco: "É nesse jogo e