Caminhada durou sete semanas

Exploradores chegam pela primeira vez a pé ao centro geográfico da Antártida

Os exploradores ficaram surpreendidos com a estátua de Lenine
Foto
Os exploradores ficaram surpreendidos com a estátua de Lenine DR

Uma equipa de exploradores britânicos e canadianos conseguiu chegar pela primeira vez a pé ao centro geográfico da Antártida, depois de terem enfrentado ventos fortes e temperaturas abaixo de zero durante sete semanas.

Arrastando trenós de 120 quilogramas, os exploradores percorreram mais de 1700 quilómetros a pé ou em "kite ski" até atingirem o pólo da inacessibilidade da Antártida — o ponto mais afastado de qualquer oceano — a 19 de Janeiro, segundo o site da expedição, em http://teamn2i.com.

Localizado a mais de 3725 metros acima do nível do mar, o pólo da inacessibilidade foi visitado pela primeira vez em 1958 por exploradores soviéticos, que viajaram até ao ponto remoto numa coluna de veículos.

A equipa, chefiada pelo canadiano Paul Landry, disse ter ficado estupefacta ao encontrar no meio de gelo, ainda de pé, um busto de Lenine erigido pelos soviéticos há quase meio século.

"Reparámos num ponto negro no horizonte e, à medida que nos aproximávamos, começou a aparecer o contorno do busto. Nem queríamos acreditar", afirmou o chefe da equipa num comunicado colocado no site na passada sexta-feira.

A equipa, chamada N2i, inclui também os britânicos Rupert Longsdon, Rory Sweet e Henry Cookson.

Estes três britânicos venceram o Polar Challenge de 2005, uma corrida de 563 quilómetros até ao Pólo Norte, sem experiência no Árctico. Depois disso, contrataram Landry, um veterano da exploração polar que dirigiu várias expedições ao Árctico e à Antártida, para os guiar até à antiga base soviética.

Foram precisos 49 dias para a equipa concluir a viagem que iniciou na base científica russa de Novolazarevskaya, localizada na costa antárctica, a nor-noroeste do pólo da inacessibilidade. Os exploradores irão agora de avião até outra base russa, em Vostok, de onde partirão para a Cidade do Cabo, na África do Sul.

O pólo da inacessibilidade fica 870 quilómetros a Nordeste do Pólo Sul. Foi visitado pela primeira vez por exploradores soviéticos em 14 de Dezembro de 1958 e usado durante pouco tempo como base de investigação meteorológica.