Armani dirige edição de luxo do Independent

Uma Kate Moss de pele negra ilustrava ontem a primeira página do diário britânico The Independent, que teve como director, por um dia, o estilista Giorgio Armani. Armani, que aceitou o desafio do jornal, seguindo o exemplo do vocalista dos U2 Bono Vox, que em Maio também dirigiu o título, decidiu dedicar a sua edição à mulher, mas não à mulher na moda. O estilista fez uma homenagem à infância e inocência perdida das crianças, futuras mulheres, em África. Armani, que cresceu numa Itália mergulhada na guerra, afirma que teme que a inocência própria da idade seja apagada de continentes como África, onde a doença, a guerra e a fome minam o futuro da população: "Pessoalmente o que vejo é um mundo onde a inocência da infância está a ser apagada pelo medo, perigo e pobreza." Entre as estrelas convidadas a escrever ou a dar entrevistas na edição conduzida por Giorgio Armani, estão o actor George Clooney, a actriz Ashley Judd, o ex-actor e actual governador da Califórnia Arnold Shwarzenegger, Bill Gates e Leonardo di Caprio. Metade do lucro da venda da edição, que incluiu uma revista extra com mais de 30 páginas, reverte a favor da iniciativa Red, lançada por Bono Vox, em parceria com várias marcas e personalidades conhecidas, para reunir fundos para combater o flagelo da sida em África.