Bloqueio marítimo deve terminar até ao final da semana

Exército israelita deverá abandonar Sul do Líbano até dia 22

A retirada israelita ocorrerá assim que estiverem no terreno cinco mil "capacetes azuis"
Foto
A retirada israelita ocorrerá assim que estiverem no terreno cinco mil "capacetes azuis" Emilio Morenatti/AP

O Exército israelita vai abandonar todas as posições que ocupa no Sul do Líbano até ao próximo dia 22, início do Ano Novo judaico, noticiou a televisão pública, acrescentando que até ao final da semana será levantado o bloqueio marítimo ao país vizinho.

Segundo a estação, a retirada israelita será feita em simultâneo com a chegada à região dos reforços da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL).

“A evacuação deverá estar completa até ao Ano Novo na zona de segurança”, noticiou a estação, numa referência à faixa de território ocupada no Sul do Líbano durante a guerra contra o Hezbollah.

“Há efectivamente excelentes hipóteses de que a retirada seja concluída até essa data, tendo em conta a chegada de reforços de ‘capacetes azuis’ prevista pela ONU”, afirmou Miri Eisin, porta-voz do primeiro-ministro, Ehud Olmert.

A responsável confirmou que Olmert concordou com a proposta, feita no início da semana passada, pelo secretário-geral da ONU, Kofi Annan, que prevê a retirada completa do Tsahal assim que chegarem ao Líbano cinco mil “capacetes azuis”.

“Até meados de Setembro teremos cinco mil soldados no Sul do Líbano”, afirmou Annan, sustentando que estes “capacetes azuis” juntamente com os 16 mil militares que Beirute está a enviar para a região constituem “uma força suficiente para permitir a retirada israelita”.

Quanto ao fim do bloqueio marítimo ao Líbano, que esteve previsto para esta tarde, a televisão pública garante que os navios de guerra israelitas vão deixar as águas territoriais libanesas dentro de 48 horas.

Numa mudança de última hora, o Governo hebraico anunciou que o bloqueio marítimo só terminará quando estiverem na zona as forças da ONU, o que ainda não terá acontecido. Contudo, Beirute garante que os navios italianos, franceses e gregos que vão patrulhar a costa libanesa até à chegada de uma frota alemã mais robusta estavam já a postos para começar a missão.

Esta tarde, Israel autorizou o reinício dos voos comerciais de e para o Líbano, pondo fim a quase dois meses de bloqueio aéreo. O primeiro avião, de uma companhia libanesa, aterrou pouco depois das 18h00 locais (16h00 em Lisboa) no aeroporto de Beirute, depois de sobrevoar durante alguns minutos a baixa da capital libanesa.