Relatório do SIS traçou um mapa da pedofilia em Portugal

Foto
O maior número de pontos sensíveis foram apontados pelo SIS em Lisboa, entre os quais consta o Parque Eduardo VII David Clifford/PÚBLICO (arquivo)

O relatório sobre"A pedofilia em Portugal: ponto da situação", que foi citado ontem por uma testemunha numa sessão do julgamento do processo Casa Pia, faz referência a "quatro zonas negras: regiões autónomas dos Açores e da Madeira e áreas metropolitanas de Lisboa e Porto".

O ex-director do SIS Rui Pereira confirmou ao "Correio da Manhã" que as informações recolhidas deram origem a dois relatórios, em 1998 e 2000, que foram reenviados aos órgãos da polícia criminal para "os fins tidos convenientes".

"Com o que [então] se passava em vários países europeus, com a Bélgica à cabeça, entendia que era uma prioridade investigar o tráfico de crianças e a pedofilia", disse Rui Pereira ao CM.

O ex-director do SIS frisou que "não houve qualquer informação relativa à Casa Pia", apesar de o assunto ser comentado e denunciado desde a década de 1970.

De acordo com o "Correio da Manhã", o SIS conclui que Portugal era um dos destinos mais procurados por pedófilos da Europa, embora não se encontrasse na principal rota da pedofilia.

O maior número de pontos sensíveis foram apontados em Lisboa, entre os quais o Parque Eduardo VII onde, que segundo o SIS, "foi detectada diariamente e à noite a presença de pedófilos de nível social elevado".

Segundo a investigação, que foi pedida por Rui Pereira, Lisboa era frequentada por "pedófilos e homossexuais adultos" que procuravam rapazes dos dez aos 14 anos para relações sexuais, mas também para filmes e sessões de fotografias pornográficas.

No Porto não foram recolhidos indícios de redes organizadas, constatando-se que os abusos sexuais eram mais frequentes no seio da família, escreve o CM.

Ainda na área de Lisboa foi identificada como zona privilegiada a Baixa, principalmente nas épocas festivas de Natal e da Páscoa, e ainda a Costa de Caparica, na margem sul do Tejo.

O CM refere também que o SIS traçou ainda um perfil das vítimas de abusos sexuais em Portugal, normalmente oriundas de ambientes pobres e sem estrutura familiar.

Já os pedófilos são identificados como homens de condição social elevada, que pagam pelos serviços que procuram e são frequentemente estrangeiros.

O "Diário de Notícias" destaca na sua edição de hoje que o relatório do SIS menciona várias obras literárias, como por exemplo "Morte em Veneza", de Thomas Mann (que descreve a fixação estética de um maestro de meia-idade por um adolescente). As obras são citadas no relatório do SIS como fazendo parte de "uma cultura pedófila".

Sugerir correcção
Comentar