Chuvas torrenciais na China fizeram pelo menos 349 mortos em Junho

Foto
Todos os anos as chuvas de Verão provocam cheias e destruição no sul da China Qin Liangjing/Xinhua

Segundo a agência Nova China, estão ainda desaparecidas 99 pessoas e os danos materiais atingem os dois mil milhões de euros.

As cheias e os desabamentos causaram 267 mortes, enquanto 82 pessoas morreram em consequência de tufões, tempestades de granizo e outros desastres naturais, refere a Nova China, que cita a Administração Meteorológica Chinesa.

As cheias de Junho atingiram todo o sul do país, desde as províncias litorais de Fujian e Guangdong, na fronteira com Macau, até às províncias do interior, como Yunan e Sichuan.

O efeito das chuvas e dos desabamentos tem piorado a cada ano, em consequência de décadas de agricultura intensiva e abate de milhares de árvores, cujas raízes retêm as terras e protegem as povoações dos vales de aluimentos, desabamentos de terra e lamas.

Diversos sistemas de represas protegem das cheias os principais centros urbanos das províncias, mas as cidades mais pequenas, em especial nas áreas montanhosas, sofrem todos os anos cheias repentinas.

Em 1998, a enchente do rio Yangtse provocou quatro mil mortos e afectou dezenas de milhões de pessoas.