Sucedendo a Manuel Ferreira de Oliveira

António Pires de Lima é o novo presidente da comissão executiva da Unicer

Pires de Lima
Fotogaleria
Pires de Lima António Cotrim/Lusa (arquivo)
Fotogaleria

António Pires de Lima, deputado do CDS-PP e ex-presidente da Compal, foi eleito hoje em assembleia-geral presidente da comissão executiva da Unicer, sucedendo no cargo a Manuel Ferreira de Oliveira, anunciou hoje o grupo de bebidas.

A assembleia votou ainda o nome de Manuel Violas para assumir o cargo de presidente do conselho de administração do grupo, no âmbito de uma reestruturação do modelo de gestão do grupo sedeado em Leça do Balio, que inclui a separação de funções entre as duas figuras.

Estas nomeações decorrem da saída de Ferreira de Oliveira (que esteve à frente da Unicer durante seis anos) para a Galp Energia, para assumir o cargo de administrador executivo.

Pires de Lima, 44 anos, é licenciado em Economia pela Universidade Católica Portuguesa, tendo exercido os cargos de presidente da comissão executiva da Compal e da Nutricafés e de vice-presidente executivo da Nutrinveste.

Manuel Violas, 47 anos, era até agora administrador não executivo da Unicer, representando o maior dos accionistas portugueses na empresa, a Viacer (que detém 56 por cento do grupo de bebidas).

Esta assembleia-geral da Unicer resultou da suspensão dos trabalhos do dia 5 de Abril, após a renúncia de Manuel Ferreira de Oliveira na Unicer, que adiou o ponto agendado para eleição dos novos órgãos sociais da empresa para uma nova reunião de accionistas, que aconteceu hoje e que apenas votou os novos presidente da comissão executiva e presidente do conselho de administração.

Relativamente à nomeação dos restantes órgãos sociais do grupo, a assembleia-geral deliberou a suspensão, por mais 90 dias, da eleição para o triénio 2006/08.

O recomeço dos trabalhos poderá ser antecipado "caso seja desejo comum de todos os accionistas da empresa", referiu a empresa em comunicado distribuído hoje aos órgãos de comunicação.

A nova administração terá em cima da mesa, entre outros, projectos importantes iniciados pela anterior administração, como o arranque da construção da fábrica de cerveja em Angola e a requalificação dos parques Vidago e Pedras Salgadas (projecto Aquanattur), avaliada em 47,9 milhões de euros.