Último auroque extinguiu-se no século XVII

Já há muito tempo que não existe nenhum antepassado das vacas modernas - o auroque, ou Bos primigenius. Chegou a viver na maior parte do hemisfério Norte, à excepção do Norte da América. Os humanos do Neolítico domesticaram-no, produzindo animais mais dóceis e pequenos, os bovinos domésticos. "Foi a domesticação de diferentes linhagens de auroques que deu origem às linhagens de bovinos domésticos", diz o cientista Beja Pereira. Com os cornos mais compridos que os seus descendentes domésticos, podiam chegar aos dois metros de altura. Comiam pastos e rebentos e viviam em florestas e matos.
"A espécie diminuiu em número devido à caça humana e à perda de habitat, e foi extinta na Grã-Bretanha, ou pelo menos tornou-se muito rara, na Idade do Bronze (c. 1250 a.C.)", conta Juliet Clutton-Brock, do Museu de História natural de Londres, no livro História da Domesticação dos Mamíferos - Dos Primórdios à Actualidade (Replicação).
"Na Europa Central, os auroques sobreviveram muito tempo, apesar das investidas dos caçadores, e acabaram por se extinguir no início do século XVII. Julga-se que o último indivíduo foi morto na Polónia em 1627", acrescenta. Na Península Ibérica, os auroques terão desaparecido no tempo dos romanos: "Eles fizeram desflorestações e gostavam muito de caçar esse bicho", diz Beja Pereira.
Mas os esqueletos de cinco auroques, descobertos há pouco tempo em Itália, com idades entre os 7000 e os 18.000 anos, ajudaram a equipa de Beja Pereira a esclarecer a origem das vacas domésticas. Os testes ao ADN das mitocôndrias dos auroques revelaram que têm muitas parecenças genéticas, com os actuais bovinos da Europa.
"As semelhanças entre os auroques de há 18.000 anos e os bovinos de hoje indicam que não se pode descartar a hipótese de os auroques da Europa se terem cruzado com os bovinos domésticos que chegavam, e contribuir para as vacas europeias." A equipa não enjeita mesmo a hipótese de os auroques da Europa terem sido domesticados e contribuído, assim, para a origem das vacas actuais. T.F.