Dança para quebrar barreiras, em Viseu

O Ensaio de Um Eros Possível junta no Teatro Viriato um bailarino e um doente com paralisia cerebral

Dois corpos surgem em palco rodopiando numa cadeira de rodas. Um sentado, outro de pé. Iniciam um encontro de fragilidades que se transformam em poder e o único som resulta do encontro desses dois corpos. O Ensaio de Um Eros Possível, hoje e amanhã no Teatro Viriato, em Viseu, é um dueto entre o bailarino e coreógrafo Romulus Neagu, colaborador regular da Companhia de Dança Paulo Ribeiro, e José António Correia, doente com paralisia cerebral do núcleo de Viseu da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral (APPC). O Ensaio de Um Eros Possível, como descreve o coreógrafo, insere-se "na procura de uma nova linguagem, uma nova forma de encontrar o corpo, de o explorar, tentar ir mais além". Neagu, que nos últimos três anos tem desenvolvido projectos para grupos específicos, como idosos e comunidades de imigrantes, diz que não foi difícil trabalhar com José António Correia. "Tudo surgiu com grande naturalidade e foi-se desenvolvendo com uma orgânica estupenda."
Em palco, a cadeira de rodas fica parada do início ao fim, uma intenção clara do coreógrafo que com este projecto pretende "quebrar clichés e barreiras", assumindo as diferenças de cada um. Neagu diz que este objectivo surgiu naturalmente ao longo da preparação do espectáculo. Entre os intérpretes foi necessário transpor o obstáculo da linguagem. "Eu não sou português e ele tem dificuldade na fala."
A segunda barreira foi a do toque: "Muita gente quando vê um deficiente não sabe como deve tocar-lhe. Por isso, decidimos começar por nos tocar." O Ensaio de Um Eros Possível, título inspirado numa lenda romana, mostra assim o encontro intenso e muito físico entre duas naturezas diferentes, mas cúmplices, "marcadas por incapacidades físicas que os levam a procurar apoios" dentro e fora de cada um.
É um projecto pluridisciplinar (dança e vídeo), criado durante três meses em residência nas instalações da APPC em Viseu, escolhida porque "os seus utentes não revelam deficiência cognitiva profunda". Em Janeiro, Romulus Neagu realizou uma acção de formação com 12 pessoas que fazem parte do centro de actividades ocupacionais da associação e acabou por escolher José António Correia, já com alguma experiência na área da expressão corporal.

O Ensaio de Um Eros PossívelVISEU Teatro Viriato. Largo Mouzinho de Albuquerque.
Tel.: 232480110.
Hoje e amanhã às 21h30.
Bilhetes entre 5 e 10 euros.