Organização da UNESCO

Lisboa acolhe 1ª Conferência Mundial sobre Educação Artística

A abertura será presidida pelo Presidente da República, Jorge Sampaio
Foto
A abertura será presidida pelo Presidente da República, Jorge Sampaio Daniel Rocha/PÚBLICO (arquivo)

Mais de 700 especialistas portugueses e estrangeiros participam a partir de hoje, em Lisboa, na 1ª Conferência Mundial sobre Educação Artística, organizada pela UNESCO e destinada a promover o papel das artes no desenvolvimento humano.

A conferência, que decorre durante quatro dias no Centro Cultural de Belém, vai reunir professores, investigadores e peritos ligados ao ensino das práticas artísticas, nomeadamente artes visuais, performativas, dança, música, teatro, escrita criativa e poesia.

A abertura será presidida pelo Presidente da República, Jorge Sampaio, e pelo secretário-geral da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), Koichiro Matsuura. O primeiro orador será o neurocientisita António Damásio, que falará sobre "Cérebro, Arte e Educação".

Organizada em conjunto pelos ministérios da Educação, da Cultura, da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e dos Negócios Estrangeiros, a realização da conferência foi anunciada por ocasião da 30ª sessão da Conferência Geral da UNESCO, em 1999, em Paris, quando foi lançado um apelo aos 191 Estados membros para a promoção da educação artística nas escolas. Dois outros dois países candidataram-se à organização do evento - Canadá e Coreia do Sul -, mas Portugal viria a ser escolhido.

A escolha da UNESCO "tem a ver com os laços de Portugal com outras regiões do mundo, nomeadamente os países de língua oficial portuguesa em África e na América do Sul, ligações essas que são conhecidas internacionalmente e que lhe conferem um importante papel de mediador", disse à Lusa Manuela Galhardo, secretária Executiva da Comissão Nacional.

De acordo com a responsável, o ensino artístico é um dos temas emergentes a nível mundial devido à criatividade que envolve e à possibilidade de a fomentar noutras áreas da sociedade, para o desenvolvimento humano e económico. Um dos grandes objectivos da conferência é promover a criatividade no ensino das práticas artísticas nas escolas, sobretudo aos alunos mais desfavorecidos social e economicamente.

Do encontro - onde estarão presentes representantes oficiais e de organizações não governamentais de 150 países - sairão conclusões que serão mais tarde usadas como directrizes pelos países membros da UNESCO. A avaliação do impacto sócio-cultural e económico da educação artística, os métodos de ensino/formação de professores, o papel da arte e da criação artística na formação intelectual são alguns dos temas a debater no encontro, que decorre até quinta-feira.