Liga de Andebol com os mesmos clubes

Portugal voltará este ano a não ter nenhuma equipa na Liga dos Campeões de andebol. Apesar de o Madeira SAD ter vencido o Campeonato da Liga 2004/2005, o diferendo que separa a Liga Portuguesa de Andebol (LPA) e a Federação de Andebol de Portugal (FAP) impede que, mais uma vez, Portugal se encontre representado na competição. Hoje realiza-se no Porto o sorteio da Liga, que terá os mesmos dez clubes da época passada - Madeira SAD, FC Porto, ABC, Águas Santas, Belenenses, V. Setúbal, Sporting de Espinho, Ginásio do Sul, Águeda e Manabola. No final da temporada passada, quando parecia que as duas entidades se poderiam finalmente entender devido à pressão exercida pelo Governo, chegou a ser ponderada a existência de um campeonato único que terminasse com a realização de duas competições distintas organizadas separadamente por FPA (Divisão de Elite) e LPA (Campeonato da Liga), mas as divergências voltaram a deixar tudo na mesma. João Nogueira, presidente da LPA, revelou ter existido a possibilidade de dois novos clubes (Sporting da Horta e Boavista) poderem vir a integrar a lista de participantes, mas esta, entretanto, gorou-se.
"A modalidade está a definhar por causa dos dirigentes da Federação", sublinhou o presidente da LPA, em declarações ao PÚBLICO, acusando-os de "conservadorismo excessivo" e recusando qualquer mediação do Governo, que "já interveio demasiado". Em 2003, os dois organismos celebraram um protocolo, exigido por lei, prevendo a integração da LPA na FAP, posteriormente posto em causa pela federação, o que atrasou o arranque da época passada. "A federação tem um discurso no país e outro no estrangeiro. É uma atitude cobarde", acusou.
A FAP propôs a realização de um confronto entre o campeão da Liga e o vencedor da Divisão de Elite para decidir qual o representante nacional na Liga dos Campeões, solução repudiada pela LPA. Por seu lado, o presidente da FAP, Luís Santos, recusou-se a tecer qualquer comentário, afirmando apenas que as relações entre os dois órgãos são as "substanciadas no protocolo".
A LPA, na sua próxima assembleia geral, vai propor aos clubes um campeonato disputado com uma fase regular e dois play-off. O director-executivo da LPA, Luís Graça, esclareceu ontem os contornos do novo campeonato, revelando que a ideia é fazer prolongar temporalmente a prova. "Já falámos com os clubes e vamos ter uma fase regular a duas voltas, com os dez clubes, e depois um play-out com as últimas quatro equipas. As que ficaram nas duas melhores posições neste mini-campeonato a quatro, integram os play-off dos oito finalistas", disse Luís Graça. Daniel Brandão