Homenagem no aniversário do nascimento do jornalista

Lisboa: Câmara inaugura hoje Jardim Fernando Pessa

A vereadora Ana Bettencourt preside à cerimónia
Foto
A vereadora Ana Bettencourt preside à cerimónia David Clifford/PÚBLICO

A Câmara de Lisboa celebra hoje o aniversário do nascimento de Fernando Pessa, que morreu em 2002 aos cem anos de idade, com a atribuição do seu nome ao jardim onde o jornalista gostava de passear.

Segundo um comunicado da autarquia, a inauguração do jardim, na freguesia de S. João, junto ao Fórum Lisboa, visa homenagear o jornalista pela sua faceta de contador de histórias da capital. A inauguração, prevista para as 11h00, será presidida pela vereadora e presidente da Comissão Municipal de Toponímia, Ana Bettencourt.

O jornalista, que popularizou a expressão "E esta, hein!?", nasceu em Aveiro em 1902, mas foi criado em Penela, perto de Coimbra, onde fez o ensino secundário, preparando-se para integrar as fileiras do exército.

Nos anos 20, a viver em Lisboa, dedicou-se aos seguros e foi esta a primeira de muitas mudanças: aos 25 anos, a convite do dono da empresa de seguros em que trabalhava, viajou para o Brasil.

Em 1934, cinco anos antes de começar a I Guerra Mundial, regressou a Portugal, tendo-se candidatado a um concurso para locutores na recém-criada Emissora Nacional. Acabou por entrar na empresa e para uma profissão que o acompanharia até ao fim da vida: a de jornalista.

O homem da rádio passou para o mundo da televisão no dia 7 de Março de 1957, data da primeira emissão da RTP, mas só entra para os quadros da empresa em 1976, já com 74 anos de idade. Ao serviço da RTP, o jornalista fez de tudo, desde reportagens a entrevistas, tendo-se distinguido pelas suas chamadas de atenção para estátuas sem cabeça, casas pintadas com graffiti, buracos nas estradas e passeios, passadeiras com marcações esbatidas ou sinais mal colocados.

Ficou célebre a reportagem em que divulgou a existência em Lisboa da Torre de Pelé (Torre de Belém), devido ao facto de algumas letras da placa indicativa estarem apagadas.