Nobel da Literatura de 1976

Morreu o escritor norte-americano Saul Bellow

Bello escreveu "Herzog" e "Humboldt´s Gift", entre outras obras
Foto
Bello escreveu "Herzog" e "Humboldt´s Gift", entre outras obras Elise Amendola/AP

O escritor norte-americano Saul Bellow, Prémio Nobel da Literatura em 1976, morreu ontem na sua residência em Massachussetts aos 89 anos de idade, anunciaram os seus familiares.

Walter Pozen, advogado e amigo do escritor, disse que a morte ocorreu na sua residência na localidade de Brookline, no Estado do Massachusetts, depois de uma doença prolongada.

O romancista esteve consciente até ao último momento, na companhia da mulher e da filha, acrescentou.

Membro da geração de escritores judeus que surgiu depois da segunda Guerra Mundial (entre os quais Philip Roth, Isaac Bashevis Singer, Bernard Malamud), Bellow foi galardoado com o Prémio Nobel em 1976 pela sua "compreensão do ser humano e a sua subtil análise da cultura contemporânea".

Na literatura norte-americana era considerado um dos mais representativos das letras do século XX, juntamente com William Faulkner.

Entre as suas obras mais conhecidas incluem-se "Herzog", "Humboldt´s Gift" assim como "Adventures of Augie March". Uma das suas últimas obras foi "Ravelstein", um romance publicado em 2000 que se baseou na vida do seu amigo Allan Bloom e "Collected stories" em 2001.

Foi o primeiro escritor norte-americano a receber o Prémio Nacional do Livro (National Book Award) em três ocasiões distintas: 1954, 1965 e 1971.

Em 1976 foi-lhe concedido o Prémio Pulitzer pelo seu romance "Humboldt´s Gift".

Diplomado em Sociologia e antropologia pela Universidade de Chicago, em 1937, foi professor na Universidade do Wisconsin e serviu na Marinha durante a Segunda Guerra Mundial.

Casou-se cinco vezes e sobrevivem-lhe a quinta mulher Janis, a filha Naomi, e três filhos de matrimónios anteriores.