Magistrado Orlando Romano designado novo director nacional da PSP

O procurador da República Orlando Romano foi ontem designado director nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP). Vai substituir Branquinho Lobo, que havia apresentado ao Governo o pedido de exoneração do cargo.Orlando Romano, que esteve 15 anos na Polícia Judiciária, nomeadamente na Direcção Central de Combate ao Banditismo, aguarda apenas a necessária autorização do Conselho Superior do Ministério Público para iniciar as novas funções.
A tarefa que aguarda o novo director nacional não se afigura fácil. Ontem, reagindo à nomeação de Orlando Romano, o presidente do Sindicato dos Profissionais de Polícia, António Ramos, disse ao PÚBLICO que o novo responsável "deverá saber rodear-se de polícias, de todos os postos, que o saibam aconselhar" e sugeriu mesmo que se aproveite a ocasião para substituir os actuais quadros dirigentes. "É preciso fazer uma limpeza na direcção nacional. Não nos podemos esquecer que, nos últimos três anos, a PSP bateu no fundo em todos os aspectos."
Não poupando Branquinho Lobo - cuja liderança na PSP chegou mesmo a ser questionada pelo facto de ter sido aposentado da função pública por motivos psicológicos antes de assumir o cargo de director -, António Ramos entende agora que se deve dar "um voto de confiança" a Orlando Romano.
Para os responsáveis da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP), a nomeação de Orlando Romano foi acolhida com satisfação. "Tem o perfil que defendemos e conhece os polícias. É um civilista que pode trazer novas perspectivas a esta polícia [PSP], que se encontra num estado caótico", disse ao PÚBLICO o vice-presidente, Manuel Morais. J.B.A.