Páscoa também é cultura no Sardoal

A vila de Sardoal inicia hoje e prolonga até ao próximo sábado as cerimónias religiosas da Semana Santa. No domingo de Páscoa, dia 27, será o encerramento do programa religioso e das várias cerimónias e iniciativas paralelas que dão uma atmosfera única à quadra pascal que se celebra no concelho. A par das festividades pascais, estão igualmente previstas exposições, cinema, música e mesmo uma mostra gastronómica. Já em curso, desde o passado domingo, no núcleo central da Casa Grande, está a exposição "Tesouros da Ourivesaria Religiosa do Concelho de Sardoal", exibindo dezenas de peças datadas desde o século XVII e relacionadas com antigos e actuais rituais da liturgia cristã. Além de turíbulos (queimadores de incenso), resplendores (coroas onde se guardam as imagens dos santos) e de navetas, que preservam o incenso, podem ser vistos cálices, píxides (para as hóstias), custódias, coroas dos santos e bandejas em prata, prata dourada ou ligas metálicas.
As festividades pascais da vila do norte do Ribatejo incluem já hoje a procissão dos Ramos, e ainda a dos Fogaréus (dia 24), a do enterro do Senhor (25) e a da ressurreição, no próprio domingo de Páscoa.
Pelas suas particularidades, a procissão dos Fogaréus, organizada pela Irmandade da Misericórdia de Sardoal, sublinha a profunda tristeza da comunidade cristã local pela representação da morte de Cristo. O cortejo sai à noite e a escuridão total (que conta com a "cumplicidade" da EDP, que desactiva o fornecimento de energia eléctrica) é apenas cortada pela luz lúgubre dos archotes (fogaréus), candeias e velas dos participantes.
Outra característica de destaque na Páscoa da vila é a dos enfeites com flores no chão das seis capelas de Sardoal. M.F.V.