Pena permite-lhe abandonar a África do Sul

Filho de Margaret Thatcher multado por tentativa de golpe de Estado na Guiné Equatorial

Thatcher foi condenado a pagar uma multa
Foto
Thatcher foi condenado a pagar uma multa EPA

O filho da antiga primeira-ministra britânica Margaret Thatcher, Mark Thatcher, declarou-se hoje culpado perante o Supremo Tribunal da Cidade do Cabo, na África do Sul, de ter participado na tentativa falhada de golpe de Estado na Guiné Equatorial.

Mark Thatcher vai pagar uma multa de três milhões de rands (cerca de 385 mil euros), num acordo que lhe permite deixar a África do Sul para que se junte à sua família nos Estados Unidos. Thatcher foi ainda condenado a cinco ano de prisão, com pena suspensa durante quatro anos, que se tornará efectiva caso não pague a multa.

Segundo a BBC Online, o filho da "dama de ferro" terá insistido na versão de que não sabia o uso que ia ser dado ao helicóptero que ajudou a financiar com 275 mil dólares, e que acabou por ser usado na tentativa de golpe de Estado. Thatcher admitiu, no entanto, ter violado a legislação sul-africana anti-mercenária ao contribuir - ainda que inadvertidamente, de acordo com a sua versão - para os aspectos logísticos da operação.

Mark Thatcher foi acusado de envolvimento numa tentativa de derrubar o regime do Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema, no poder há 25 anos. Vários suspeitos detidos na Guiné Equatorial e na África do Sul, acusados de ligações ao abortado golpe de Estado na Guiné Equatorial, aceitaram testemunhar contra Mark Thatcher.

De acordo com o Ministério Público sul-africano, Thatcher terá contribuído com 275 mil dólares para a logística, nomeadamente para a compra de um helicóptero de combate e transporte a ser utilizado na operação. Em Novembro último, três mercenários detidos na África do Sul no âmbito do mesmo processo assumiram-se como testemunhas de acusação contra Thatcher.

Lourens Horn, Harry Carlse e Crause Steyl declararam-se culpados de actividades mercenárias e aceitaram depor contra Mark Thatcher, reforçando consideravelmente o processo judicial contra o filho de Margaret Thatcher.